Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
17:00 Santa Inovação
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
02/12/2019 - 13h13min

Catulo: um sonho realizado

Imprimir Enviar
Deputado José Milton Scheffer, secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni e integrantes do educandário

A instituição de ensino mais antiga de Sombrio, o Colégio Catulo da Paixão Cearense, foi reinaugurado sexta-feira (29) pelo secretário de Estado da Educação e deputado Zé Milton (PP). A cerimônia contou com a presença do prefeito, Zênio Cardoso, de educadores, alunos e ex-alunos, vereadores e diversas autoridades que foram acompanhar de perto a entrega da escola.

A reforma e ampliação foi iniciada em 2018, no valor de R$ 3,5 milhões, e conta com 4.258 metros quadrados de área construída, distribuídas em 16 salas de aula, três laboratórios, sala para o Serviço Educacional Especializado (Saed), biblioteca, refeitório, com acessibilidade, sistema de reaproveitamento da água da chuva, assim como, a ampliação do Colégio com 8 novas salas para abrigar laboratórios e informática.

Com 113 anos de fundação, o Catulo da Paixão Cearense é um dos principais símbolos do patrimônio histórico do município.  O Colégio é responsável pela educação de 500 alunos oriundos de todos os bairros do município.

No ato de reinauguração o deputado lembrou da importância educacional do Catulo. “Esse colégio é um símbolo de educação de sucesso para a nossa região, foi por aqui que passaram diversas lideranças, pessoas, que a partir do conhecimento se destacaram e levaram o nome da nossa cidade para outros estados e regiões”, destacou Zé Milton, ao falar da qualidade do corpo educacional. “Hoje estamos aqui com o nosso Catulo reformado e ampliado, devido ao valor da comunidade escolar que jamais desistiu e lutou conosco para a realização deste sonho. Esta escola tem alma e ela é fruto de cada um de vocês que a compõem”, declarou o parlamentar.

Diretora do educandário, Fabrícia Monteiro Caetano Alves, de forma emocionada, em sua fala, agradeceu a todos os envolvidos. “Não há palavras para descrever o que estamos sentindo aqui hoje. É um sonho que vemos realizado. Obrigado a todos!”, falou. 

Natalino também falou das expectativas do governo em retomar uma política qualitativa de educação para os próximos anos. “Lamentavelmente, ao longo do tempo, a educação pública acabou se tornando uma política de baixa qualidade, mas estamos investindo para que as escolas sejam reestruturadas para que o ensino público possa formar pessoas com qualidade. Da mesma forma que vocês do Catulo realizam aqui em Sombrio”, ponderou o secretário.

“Na música que os colegas de vocês apresentaram aqui tem o trecho “E há que se cuidar do broto, pra que a vida nos dê, Flor, flor e fruto” e vocês são os nossos brotos, esta obra é para vocês”, finalizou o secretário.

Nem tudo foi flores na história do Catulo
Em 1906 a primeira escola estadual de Sombrio iniciou suas atividades. Nestes 113 anos de atividades o antigo Grupo Escolar Catulo da Paixão Cearense formou inúmeras lideranças no município que se destacaram no meio político, na comunicação, e em diversas áreas.

Passado mais de um século de existência inúmeros foram os percalços que a comunidade escolar enfrentou para que em 2019, com a conclusão da reforma, ampliação e adequação para as necessidade atuais, voltasse ao esplendor digno de uma história de dedicação, empenho e luta por uma educação digna e com qualidade para todos que por ela passam.

A necessidade urgente de reforma
Em 2012, com as condições estruturais necessitando de recuperação devido ao desgaste e a falta de reparos a comunidade escolar em conversa com o deputado Zé Milton solicitam o apoio junto ao Governo do Estado para a obtenção de recursos para a realização das obras de reforma do educandário. A partir da solicitação deu se início as tratativas com o Governador Raimundo Colombo e Secretaria de Educação que resultaram na disponibilização de R$ 4 milhões para a obra.

Burocracia e entraves que dificultam
Passados quase um ano, em 2013 já com os recursos alocados, a obra não tinha iniciado ainda devido a documentações e projetos que não haviam sido encaminhados pela extinta Secretaria de Desenvolvimento Regional a Secretaria de Educação.  Nesse período foram diversas reuniões tanto na SED, quanto na SDR até que em 2017, depois de uma intervenção do Governo, fosse enviada a documentação correta para Florianópolis.

A dor de ver a Escola queimando
Durante os cinco anos até que fosse realizado a licitação da obra, a escola devido ao aumento dos danos estruturais acabou sendo interditada, e , em agosto de 2016  houve um incêndio que danificou duas das salas do prédio da E.E.B Catulo da Paixão Cearense.

Mais uma vez sem escola
Um dos momentos mais cruciais da longa luta dos estudantes foi em 2017 quando Sete escolas de Sombrio e Balneário Gaivota, no Sul de Santa Catarina, foram interditadas judicialmente devido às más condições estruturais, de segurança e sanitárias.

Os Alunos do Catulo que estavam em um prédio alugado, que também foi interditado, acabaram sendo divididos e alocados em outras turmas das escolas do Estado do município. A divisão dos estudantes deixou a população menos esperançosa e com a angústia de que a escola seria derrubada e extinta.

Reforma do Catulo Já
Nesse período em que a obra de reforma encontrava-se travada pela burocracia e inoperância da SDR, a rádio 102.9 FM lançou a campanha “Reforma do Catulo Já”, na qual eram realizados programas na frente do prédio em ruínas todas as sextas. O proprietário e radialista Cacai Amorim, ingressou na mobilização com as lideranças nas entrevistas com o deputado Zé Milton, diretores, pais, alunos, professores e Associação de Pais e Alunos, mostrou para sociedade o que estava acontecendo e ajudou a pressionar o governo a tomar uma atitude.

O pedido de intervenção do Estado
Passados alguns dias do fechamento das escolas o deputado Zé Milton esteve nesta quarta-feira (22), com o secretário de Estado da Educação Eduardo Deschamps e da Casa Civil Nelson Serpa e solicitou a intervenção do Estado para resolver a situação das Escolas de Sombrio e Balneário Gaivota, visto que a Agência de Desenvolvimento Regional - ADR não está dando a celeridade necessária a situação.

Com as informações repassada pelo parlamentar, fundamentadas com as matérias da imprensa e dos programas de rádio, o estado enviou uma equipe de intervenção. Junto com os diretores das escolas a equipe de interdição lançou os editais e resolveu  as situações de seis escolas que retomaram suas atividades normais, poucos dias após a intervenção.

Catulo esperança do retorno
Em 2107, depois de cinco anos de luta e obras, com a presença da Diretora, professores e lideranças foi assinada a ordem de serviço das obras de reforma e ampliação da tão sonhada escola.

Iniciada três dias após a assinatura da ordem de serviço, as obras da escola secular foram em ritmo acelerado até janeiro de 2019, quando finalmente pôde receber os alunos. No  primeiro dia de aula na nova escola, em Fevereiro, os estudantes lotaram os corredores. O clima entre os professores e mais de 500 alunos era de alegria e ansiedade.

Porém alguns detalhes da obra ainda não haviam sido terminados, como o ginásio e as calçadas, mas para as crianças, jovens e adolescentes era o início de um sonho realizado, já que novamente puderam estar reunidos com seus colegas na sede da sua escola.

Agora o dia 29 de novembro, ficará marcado como o retorno oficial do Catulo da Paixão Cearense. Uma escola que assim, como os diversos alunos que a frequentaram e dos que a frequentam, irá brilhar com o esplendor de uma história de luta e triunfo.

 

Fernando Silveira
Assessor de Comunicação Gabinete Deputado José Milton Scheffer
(48) 8870.0829 - 3221.2878

Acompanhe José Milton Scheffer


José Milton Scheffer
Voltar