Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
00:15 Sessão Ordinária
Ouvir
00:05 Programação Musical

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
25/01/2018 - 14h40min

Já é lei proposta do deputado Gabriel Ribeiro que obriga transmissão ao vivo das licitações

Imprimir Enviar

Todas as licitações feitas pelo Governo do Estado (administração direta e indireta), Poder Legislativo, Judiciário, Ministério Público estadual, Tribunal de Contas e Defensoria Pública de SC terão que ser transmitidas ao vivo pelos respectivos portais transparência. É o que obriga a lei de autoria do deputado Gabriel Ribeiro (PSD), promulgada pelo presidente do Legislativo, Silvio Dreveck nesta semana.

A transmissão das concorrências públicas deverá abranger a abertura de envelopes com a documentação, a verificação se as proposta estão conforme o edital e o julgamento e classificação das propostas.

Gabriel Ribeiro enfatiza que qualquer pessoa, pelo celular, poderá acompanhar em tempo real as concorrências públicas. “A matéria coloca Santa Catarina na vanguarda do país e traz mais transparência aos atos públicos”, acrescenta.

Além da transmissão, o processo licitatório deverá ficar por cinco anos disponível nos portais de transparência. Nos moldes atuais, o público não costuma acompanhar os processos licitatórios, que ocorrem dentro de salas de órgãos públicos. E os resultados são publicados no Diário Oficial, que tem baixo índice de leitura.

PERSPECTIVA
Apesar de ter se tornado lei estadual, o tema deverá retornar à pauta da Assembleia Legislativa neste ano. Durante o debate do então projeto de lei nas comissões houve a sugestão oral de que a transmissão ao vivo pela internet também valesse para as prefeituras e câmaras de vereadores.

Como o ano legislativo estava acabando, se fosse feita uma emenda com esse conteúdo, não haveria tempo para a aprovação do projeto em plenário. Então ficou alinhavado que o assunto retorne à discussão em 2018 para a elaboração de uma lei complementar. Mas o próximo passo, enfatiza o deputado Gabriel Ribeiro, “é fazer com que os agentes públicos implantem a lei em todo o Estado. Hoje, todos os entes já contam com o portal transparência, e precisam se adaptar à legislação que já está em vigor”.

Acompanhe Gabriel Ribeiro


Gabriel Ribeiro
Voltar