Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
01:30 Sessão Ordinária
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
15/05/2019 - 17h46min

Refutando a “cultura do estupro”

Imprimir Enviar
Deputada Ana Caroline Campagnolo
FOTO: Rodolfo Espínola/Agência AL

Durante a sessão ordinária do dia 07/05/19, a deputada Ana Caroline Campagnolo (PSL) discorreu sobre um projeto de lei que determina a afixação de cartazes nos órgãos da administração pública direta e indireta com a seguinte mensagem: "Assédio sexual e estupro são crimes tipificados no Código Penal! Você tem direito de denunciar."

Campagnolo não se opôs ao projeto, mas frisou que não há cultura de estupro no Brasil, e sim uma cultura de impunidade gerada por operadores que usam o crime como instrumento revolucionário para sufocar a sociedade. Evocou o fato de que estupradores, quando pegos pela sociedade civil ou população carcerária, acabam invariavelmente mortos, tamanho é o repúdio que a população possui do ato.

Ainda no que tange ao sufocamento da sociedade, a parlamentar ressaltou que muitas políticas feministas foram contra o projeto de Jair Bolsonaro e que propunha castração química para estupradores, evidenciando o compromisso ideológico, e não para com as mulheres supostamente defendidas pelo movimento.

 

Acompanhe Ana Campagnolo


Ana Campagnolo
Voltar