Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
10:00 Comissão de Constituição e Justiça
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
25/03/2020 - 13h05min

Fabiano da Luz parabeniza Macieira pelos 28 anos de emancipação

Imprimir Enviar
Município de Macieira. FOTO: Divulgação

O deputado Fabiano da Luz (PT) parabeniza o município de Macieira, no Meio-Oeste, pelos 28 anos de emancipação, que serão comemorados no próximo dia 30. A história do município tem por marco a chegada de jagunços por volta de 1900, segundo depoimentos dos primeiros moradores do local, e de grupos indígenas provavelmente pertencentes aos grupos Xokleng e Kaigang, habitantes da região.

Macieira faz parte da região da Guerra do Contestado (1912-1916), segundo consta no livro do historiador Nilson Tomé, "Sangue, suor e Lágrima no chão do Contestado”, porém não há registro de que houve lutas nesse local.

Na década de 1930, chegaram as primeiras famílias de imigrantes alemães e italianos, naturais de Urussanga e Lages, José Augusto Royer, Francisco Schuh, José Colombo e Raimundo Mendes, motivados por Pedro Mendes, dono das terras com residência fixa no município de Palmas (PR).

Pedro Mendes com medo de perder suas terras convidou os amigos Schuh e Royer a fixar residência e proteger suas terras.O local era caminho de tropas que conduziam porcos dos campos de Palmas a Videira, sendo Macieira local de descanso desses tropeiros. No local de descanso foi construído um paiol, que abrigava os tropeiros e as tropas. Próximo a esse local havia um pé de maçã, o local passou a ser chamado por Paiol da Macieira e mais tarde tornou-se Macieira.

Características
A subsistência dos primeiros moradores era garantida pelo trabalho na lavoura e derrubada de matas. Plantavam milho, feijão, arroz, trigo, legumes e verduras.

Na década de 40, chegaram mais famílias, vindas de Serra Baixo, Arroio Trinta e Iomerê.
Em 1952, Macieira tornou-se distrito de Caçador, localizando-se a uma distância de 48 quilômetros da sede, o que dificultava sua manutenção. A comunidade crescia as atividades agrícolas e comerciais também, foi construído armazém, moinho, funerária e represa.

Os moradores sentiam a necessidade de ver suas dificuldades serem resolvidas com mais urgência. Em 1972 nascia o movimento popular para tornar Macieira um Município. Devido à distância e para tentar amenizar os problemas do distrito o governo municipal construiu: intendência, posto de saúde, cartório, posto de correio e o Estádio Jucy Varellamas, mas as dificuldades continuavam. De 1972 a 1992 foram organizadas comissões, compostas de pessoas da comunidade com o propósito de emancipar o distrito a fim de suprir suas deficiências e realizou-se então, um plebiscito para saber se a população do distrito era a favor ou não da ação do município. A resposta foi favorável à criação do mesmo, que aconteceu no dia 30 de março de 1992, através da Lei nº 8.560.

Acompanhe Fabiano da Luz


Fabiano da Luz
Voltar