Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
00:15 Sessão Ordinária
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
13/12/2018 - 13h51min

Aprovado projeto de inclusão de deficientes visuais na área da cultura

Imprimir Enviar
Deputado Padre Pedro Bldissera
FOTO: Fábio Queiroz/Agência AL

Imagine que você precisa acompanhar um filme ou peça de teatro somente a partir dos diálogos, sem a imagem. Essa é a realidade de mais de 200 mil catarinenses com completa ou severa deficiência visual. O projeto de lei 240/2017, que estabelece normas e critérios básicos de acesso a deficientes visuais e auditivos em políticas públicas na área da cultura, foi aprovado por unanimidade na última quarta-feira (12), na Assembleia Legislativa. 

A proposta, apresentada pelo deputado Padre Pedro Baldissera (PT), garante recursos como audiodescrição, legendagem descritiva e Libras, em projetos e programas estaduais financiados ou apoiados com recursos públicos à iniciativa privada e a órgãos da administração pública. O recurso já existe em software disponível para utilização em celulares.

“No Brasil temos esses recursos em caráter experimental e com resultados excelentes em diversos espetáculos, salas de cinema e teatro. Não queremos esgotar o tema aqui, mas lançar uma base para iniciar um processo gradativo de inclusão”, explica o parlamentar.

A áudiodescrição, por exemplo, consiste numa narrativa que, somada aos diálogos já presentes nas obras, permite ao espectador com deficiência visual ter acesso a informações não verbalizadas. As produções culturais que recebem recursos públicos devem prever, por exemplo, a contratação de profissional audiodescritor. 

“Nós temos mais de 14 mil pessoas cegas em SC e mais de 170 mil com extrema deficiência visual. A grande maioria, quase 200 mil catarinenses, já utilizam a internet, com programas que leem os textos, repassados para áudio ou braile, mas não conseguem ‘ler’ as imagens. É um projeto que busca respeitar o direito das pessoas ao acesso pleno aos bens culturais”, afirma Padre Pedro.

Acompanhe Padre Pedro Baldissera


Padre Pedro Baldissera
Voltar