Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
22:00 Fala Deputado
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
05/07/2018 - 13h19min

AMAB destaca papel histórico da ex-deputada Antonieta de Barros

Imprimir Enviar
Altair Alves e Flávia Person, do AMAB
FOTO: Eduardo G. de Oliveira/Agência AL

Caso estivesse viva, a Antonieta de Barros, primeira parlamentar negra do país, completaria, no próximo dia 11 de julho, 117 anos de idade. Para celebrar a data, integrantes da Associação de Mulheres Negras Antonieta de Barros (AMAB) estiveram na Assembleia Legislativa durante a manhã desta quinta-feira (5) para promover um resgate do papel desempenhado pela ex-deputada catarinense.

Da tribuna, Altair Alves observou que, filha de ex-escravos, Antonieta de Barros superou sua condição humilde e teve destacada atuação como cronista, professora e deputada na Assembleia Legislativa por dois mandatos. “Antonieta significa muito para nós, povo negro e, principalmente, para as mulheres. Há muita coisa para ser lembrada, do que foi essa mulher e do papel que ela exerceu nesse estado. Como associação, temos muito o que reverenciar, é por isso que a gente batalha.”

Já Flávia Person, que realizou um documentário sobre Antonieta, cobrou mais esforços do Legislativo catarinense no sentido de manter vivo o legado da parlamentar. “Antonieta, infelizmente, está abandonada no cemitério do Itacorubi e uma das coisas que gostaria de pedir é atenção desta Casa para a preservação da memória de Antonieta e da sua importância para o estado.”

A deputada Luciane Carminatti (PT), que abriu espaço na sessão para a manifestação da entidade, observou que Antonieta abriu caminho para as mulheres na política brasileira. Em apoio às solicitações da AMAB, ela também anunciou que irá protocolar um projeto de lei visando incluir na grade curricular das escolas, públicas e privadas, a história de diversas mulheres catarinenses.

Também se manifestaram em apoio à associação os deputados Dirceu Heiderscheidt (MDB) - atual coordenadora da bancada feminina da Alesc -, Valmir Comin (PP) e Ada de Luca (MDB); além da ex-senadora Ideli Salvatti.

 

 

Alexandre Back
Agência AL

Voltar