Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
00:30 Sessões - Seminários - Eventos
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
02/07/2019 - 09h10min

Infraestrutura garante continuidade da SC-108, paralisada para ajustes

Imprimir Enviar
A Assembleia Legislativa promoveu audiência nesta segunda (1º), em Blumenau, para debater a continuidade da Via Expressa do município.
FOTO: Solon Soares/Agência AL

A Secretaria da Infraestrutura e Mobilidade garantiu a continuidade das obras da SC-108, a Via Expressa de Blumenau, apesar da paralisação das obras e de ajustes nos projetos. A garantia foi dada pelo secretário Carlos Hassler durante audiência pública da Comissão de Transporte e Desenvolvimento Urbano da Alesc, realizada na noite de segunda-feira (1º), no Clube Caça e Tiro da Itoupavazinha, em Blumenau.

“Estamos estudando, os custos não me convencem, mas não está parada, a hora que acertar as planilhas de valores vou poder levar ao grupo gestor da Casa Civil. A prova mais concreta é o elevado da Guilherme Scharf ter iniciado, assim que equacionarmos os problemas das outras partes do projeto, vai ser retomada a execução efetiva da obra”, prometeu Hassler.

Já para os restantes 15,5 quilômetros da Via Expressa, ainda não há previsão para o início das obras. “O trecho seguinte preocupa, custa R$ 10 milhões o quilômetro, mais 15 obras de arte entre pontes e viadutos que ainda não foram licitadas, nem os projetos, mas enquanto estamos trabalhando no viaduto e no primeiro trecho de 1,8 quilômetro, a gente tem tempo para reavaliar o projeto”, afirmou o secretário de Infraestrutura.

Quanto ao viaduto sobre a BR-470, Hassler confessou que as tratativas com o DNIT sequer começaram. “O elevado da BR-470 tem de acertar com o DNIT com relação à execução e à elaboração do projeto. Quem faz? Essas tratativas ainda não iniciei, mas essa ligação é mais importante que o prosseguimento da Via Expressa”, avaliou Hassler.

A comunidade não gostou das explicações, cobrou definição do traçado e decidiu que a conclusão da SC-108 é prioritária para a região. “Não tem desapropriação, não tem previsão orçamentária, vão concluir 1,8 quilômetro e a obra vai parar”, previu o vereador de Blumenau, Almir Vieira, que reclamou das mudanças no traçado da rodovia. “A partir do momento que tem uma previsão, naquele terreno não se pode fazer nada, aí fica quatro anos sem mexer no terreno e depois muda o traçado”.

“Queremos ter o traçado, hoje temos três projetos diferentes. Qual deles será feito? Como será feita a avaliação dos terrenos? Não queremos que saia defronte à polícia rodoviária”, ponderou o vereador Jens Juergen Mantau.

“Estou decepcionado com a fala do secretário, muito pouco trouxe daquilo que a gente esperava. Blumenau está cansada de migalhas, não só deste governo, que o secretário possa vir uma terceira vez com algo mais concreto, prazos, cronogramas, porque hoje ficaram meio nebulosas as coisas aqui”, admitiu o vereador Adriano Pereira.

“Aqui hoje só falácias, em março de 2020 vamos marcar uma (audiência pública) para cobrar o elevado e o andamento da obra. Sei que estamos pessimamente representados, cadê o deputado federal Carlos Chiodini (MDB-SC)? A SC-108 vai para Schroeder e Jaraguá do Sul, eles não vão ser beneficiados pela obra?”, ironizou o vereador Zeca Bombeiro.

“Pedimos ao secretário e aos deputados que tomem uma atitude de verdade, para que não fique só no blábláblá. Agente reconhece que têm outras necessidades, mas a necessidade maior é a prevenção de vidas e o desenvolvimento da nossa região”, cobrou Edinei Pinheiro, presidente da Associação Comercial e Industrial da Itoupavazinha.

“A SC-108 restringe o crescimento econômico da região das Itoupavas, estamos asfixiados pela BR-470 e pela SC-108, estamos sem saber para onde correr”, admitiu Mário Hildebrandt, prefeito de Blumenau, que ressaltou o papel do Legislativo estadual nos debates sobre o desenvolvimento regional.

Coube ao deputado Ivan Naatz (PV), propositor da audiência, recompor a confiança na capacidade de execução do governo do Estado. “Vamos dar um voto de confiança no governo, vamos acreditar que vai ser diferente, eu estou acreditando. Vamos ter respostas sim, a SC-108 é uma bandeira da cidade, da região metropolitana. Vamos eleger essa obra como prioridade, vamos fazer essa indicação junto com os prefeitos de Blumenau, Timbó e Gaspar, a imprensa local, as associações comerciais”, argumentou Naatz.

Laércio Schuster (PSB) e Ricardo Alba (PSL) concordaram com o colega. “O primeiro trecho de 1,8 quilômetro já está atrasado três anos, mas hoje temos esperança em um novo governo do Estado que vai trazer mais eficiência e planejamento. Temos de encontrar obras prioritárias para sair do papel e o governador tem dado este sinal”, apontou Schuster.

“A gente sabe que a demanda é grande, mas Blumenau tem participação especial e queremos que o governo faça pela infraestrutura do Vale o que fez com a saúde, colocando R$ 40 milhões nos hospitais filantrópicos da região. As pessoas estão cansadas de perder tanto tempo todos os dias, fica o nosso apelo”, registrou Alba, acrescentando que a execução da SC-108 “está sendo investigada pelo Ministério Público (MPSC)”.

Comissão de acompanhamento
O vereador Almir Vieira sugeriu a criação de uma comissão de acompanhamento das obras da SC-108, composta por representantes do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea/SC), Câmara de Vereadores de Blumenau, governo do Estado e Assembleia Legislativa. “Para que a gente possa ter as informações com transparência”, justificou o vereador.

Vítor Santos
Agência AL

Voltar