Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
10:35
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
10/07/2019 - 16h40min

Fiesc apresenta projeto para inserção de SC no contexto logístico nacional

Imprimir Enviar
Egídio Martorano, gerente de infraestrutura e sustentabilidade da Fiesc
FOTO: Solon Soares/Agência AL

A suspensão da sessão plenária na tarde desta quarta-feira (10) foi marcada pela apresentação de uma proposta da Federação das Indústrias Catarinenses (Fiesc) para a inserção de Santa Catarina no contexto logístico nacional. A instituição defende que seja feito um estudo de viabilidade de um sistema intermodal de transporte que considere todas as peculiaridades do estado.

Ocuparam a tribuna o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, e o autor do trabalho apresentado, o gerente de infraestrutura e sustentabilidade, Egídio Antônio Martorano. Para Mario Cezar, o bom andamento da indústria depende da manutenção da infraestrutura do estado.

“A indústria é um pilar importante para a economia de Santa Catarina, e para que esse setor possa se desenvolver são questões básicas que têm que ser analisadas. Eu posso citar aqui que a manutenção dos incentivos fiscais é extremamente importante para que nós possamos ter um estado competitivo. Mas uma outra questão extremamente fundamental é a melhoria da nossa infraestrutura. Santa Catarina tem uma indústria diversificada, distribuída ao longo de todo o seu território, e ela precisa, para ser competitiva, ter uma infraestrutura compatível com a sua importância”, afirmou.

A proposta da instituição sugere que seja feito um planejamento integrado, que respeite as variáveis econômicas do estado, de todo o sistema de transporte catarinense. Ao longo de sua explanação, Martonaro apresentou estudos sobre os corredores logísticos planejados pelos governos estadual e federal, e mostrou ainda as peculiaridades da composição econômica de Santa Catarina.

“O que o estudo tem como base é considerar a nossa pulverização da atividade industrial. Nós somos o estado, sem dúvida, mais industrial do Brasil. Nós temos o maior PIB per capita, nós superamos São Paulo quando se considera na metodologia a indústria de transformação. Nós temos uma indústria muito bem pulverizada que pode ser até comparada a uma Alemanha. Nós somos diferentes, o que a Fiesc está dizendo aqui é que nós temos que ter um tipo de planejamento que contemple essa complexa logística de distribuição e suprimento”, argumentou Martorano.

O gerente de infraestrutura afirmou ainda que Santa Catarina tem um dos melhores complexos portuários da América Latina, mas que os cinco portos não têm ligação ferroviária. “Podemos comparar Santa Catarina com países, movimentamos 1,7 milhão de contêineres, isso para qualquer investidor privado em ferrovia é ouro e nós não estamos sabendo valorizar isso, não estamos sabendo fazer o contraponto com o ministério para demonstrar essa potencialidade.”

Como proposta central, o trabalho sugere que seja elaborado um banco de projetos que identifique oportunidades para investimentos públicos e privados. “É fundamental que nós tenhamos uma atenção única para Santa Catarina, com uma proposta definida e que nós possamos fazer com que nosso estado tenha uma estrutura viária, ferroviária, aeroviária, compatíveis com a nossa economia. Então, esse trabalho certamente poderá auxiliar os senhores deputados e Santa Catarina a ter uma estrutura melhor, ter um estado mais competitivo e, por consequência, um estado economicamente e socialmente mais justo”, afirmou o presidente.

 

Com a colaboração de Carolina Lopes/Agência AL

 

 

 

Voltar