Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Whatsapp Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
22:30 TVAL Notícias
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
19/05/2020 - 17h49min

Deputados do PSD e PL criticam dispensas de licitação na SC Par

Imprimir Enviar

FOTO: Solon Soares/Agência AL

Membros das bancadas do PSD e do PL criticaram novamente dispensas de licitações patrocinadas pela SC Par durante a sessão ordinária de terça-feira (19) da Assembleia Legislativa.

“O presidente da SC Par era sócio de uma empresa do irmão do secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável e o diretor financeiro é tio do Lucas Esmeraldino, o mesmo que assinou uma dispensa de licitação de R$ 10 milhões”, revelou Kennedy Nunes (PSD).

Segundo deputado, depois que a dispensa veio a público o contrato foi cancelado.

“Um distrato amigável de contrato de R$ 10 milhões de uma hora para outra? Eu iria até as ultimas para manter o contrato, mas de uma hora para outra cancelaram o contrato, por que cancelaram? Não estava tudo certo?”, questionou Nunes.

Os deputados Maurício Eskudlark (PL) e Ivan Naatz (PL) também criticaram os gastos do governo.

“Temos coragem de enfrentar essa quadrilha que está ali dentro, todos os órgãos têm problemas”, garantiu Eskudlark, que citou o caso da Secretaria de Estado da Educação que contratou faxina e jardinagem de 22 escolas em três municípios do Planalto Norte por R$ 2,4 milhões.

“A família de Tubarão tomou conta do governo de Santa Catarina, o secretário Lucas está usando da influência para empregar a família, fazer negócios com o governo. Querem os portos porque têm dinheiro em caixa, a Secretaria da Saúde, os contratos emergenciais, é uma máfia que se instalou e que precisa ser imediatamente afastada”, declarou Naatz, que concordou com Kennedy: “quem rejeita um contrato de R$ 10 milhões? Rejeitou porque era rolo, sacanagem, roubalheira, porque a Assembleia pegou”.

Desglobalização
Paulo Eccel (PT) destacou as discussões em torno do pós-pandemia e alertou para o fenômeno da desglobalização.

“Já se começa a discutir o papel do estado e para todos o papel do estado vai mudar substancialmente. Essa história de estado mínimo, que por tanto tempo foi martelado, está ruindo com a pandemia, com a necessidade do fortalecimento dos serviços públicos. O mundo está se desglobalizando e o estado que precisa ser cada vez mais nação está em ascensão”, relatou Eccel, que citou o debate sobre renda mínima, a nacionalização de hospitais na Espanha e o fortalecimento do sistema público de saúde no Reino Unido.

Deputado retira projeto de volta às aulas
João Amin (PP) solicitou a retirada do projeto de lei de sua autoria que disciplinava o retorno às aulas no estado barriga-verde

“O projeto não obrigava ninguém, dava condições do prefeito decidir. Surpreendentemente ontem liguei para o secretário e ele falou para a menina que trabalha comigo, ‘avisa o deputado que se quiser falar sobre o projeto que protocolou, não falo com ele’. E desligou, mas os nossos estados vizinhos já têm planejamento de retomada da educação”, ponderou Amin.

O deputado justificou o fim da tramitação do referido projeto de lei.

“Estou retirando, pelo menos começaram a se falar, fiquei sabendo que teve reunião ontem, que hoje vai ter uma reunião na Defesa Civil com a Secretaria da Saúde e com Secretaria da Educação, não sei quanto tempo esse secretário de Educação vai durar, mas pelo menos começou o debate”, avaliou Amin.

Bombeiro amigo do peito
Fernando Krelling (MDB) pediu à Secretaria da Casa Civil que agilize a análise de minuta de decreto que autoriza bombeiros militares e civis a recolherem leite materno na casas das lactantes.

“Cerca de 60% dos bancos de leite reduziram as doações, alguns têm leite para só três dias. O decreto diz que o bombeiro participará do processo de recolhimento do leite na casa das pessoas, já que as mães não estão saindo de casa para doação”, detalhou Krelling.

Renato Leandro de Medeiros
Valdir Cobalchini (MDB) lamentou a morte do tenente-coronel Renato Leandro de Medeiros, comandante da PMSC em Caçador, ocorrida na segunda-feira.

“Renato de Medeiros comandou o 15 ºBatalhão sediado em Caçador e se houve em conduta exemplar, fazendo com que os índices de criminalidade reduzissem drasticamente, deixa saudades”, discursou Cobalchini.

O deputado Nilso Berlanda (PL) também lamentou a morte do policial militar.

“A gente lamenta a morte desse profissional, muito cedo, inclusive”.

Hospital Hans Dieter Schmidt
Sargento Lima (PSL) repercutiu visita que fez, acompanhado do deputado federal Daniel Freitas (PSL), ao hospital regional Hans Dieter Schmidt, de Joinville, e informou quer em poucos dias haverá notícias sobre repasse de recursos federais ao hodpital.

Prova de vida
Sargento Lima arrancou risos dos colegas e dos servidores da Casa ao pedir ao colega Fernando Krelling uma prova de vida do prefeito Udo Döhler.

“Uma foto com o jornal do dia”, sugeriu Lima.

Ensino em casa
Bruno Souza (Novo) elogiou os membros da CCJ pelo passo dado na regulamentação da educação domiciliar.

“O Brasil é um dos poucos países que persegue as famílias que decidem pela educação em casa”, lamentou o deputado, que agradeceu os colegas pelo apoio.

Escolas livres
Marcius Machado (PL) pediu ao Executivo que analise a possibilidade do retorno das atividades das escolas de inglês e de informática.

São João Batista
Altair Silva (PP) convidou os colegas para participarem dia 21, quinta-feira, às 16 horas, de reunião com a bancada federal em São João Batista, no Vale do Rio Tijucas, para tratar da crise que assola a economia do município.

 

 

 

Vítor Santos
Agência AL

Voltar