Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
19:00
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
28/02/2018 - 17h35min

Uso compartilhado é defendido em Simpósio sobre Ponte Hercílio Luz

Imprimir Enviar

A Assembleia Legislativa recebeu na manhã de hoje o Simpósio "Ponte Hercílio Luz: Perspectivas de Uso - Qual ponte você quer para o futuro?". O evento, uma iniciativa da Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano da Alesc em parceria com a Câmara de Vereadores de Florianópolis, abordou as possibilidade de uso para a ponte, tendo chegado a pelo menos a um denominador comum: a necessidade de uso compartilhado.

Participante dos mais esperados, Michel Mittmann - diretor metropolitano do IPUF - apresentou as possibilidades que a prefeitura de Florianópolis vislumbra para o equipamento. Para ele o compartilhamento seria a iniciativa mais adequada para a utilização da Hercílio Luz. "É preciso interpretar as possibilidades e os anseios da população. Não se pode esperar que a ponte resolva os complexos problemas de mobilidade que se acumulam na cidade. É preciso preparar os passos de forma que obedeça uma sequência viável", argumentou.

O representante do IPUF destacou ainda algumas possibilidades como: instalação de parque linear, que possui alto custo de manutenção; implantação de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que também possui alto custo de implantação e necessita de alto fluxo de utilização; e liberação para automóveis, que tem baixa eficiência, inibe outros modais e alto impacto urbano.

A Associação Amigos do Parque da Luz, que deverá sofrer impacto direto com a reabertura da ponte, manifestou o desejo de ver a ponte exclusiva para as pessoas, sem tráfego de veículos. Lúcio da Silva Filho salientou a importância de" integração do entorno e das cabeceiras, possibilitando a implantação de um corredor cultural que aproveitaria o centro antigo da cidade".

Célio Sztoltz, da Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (SUDERF), defendeu que são as pessoas que precisam ser servidas pela infraestrutura urbana e não os veículos, e questionou os benefícios limitados da abertura para o transporte coletivo e uso compartilhado.

Proponente do evento, o deputado João Amin acredita que é preciso que um equipamento de alto custo como a Ponte Hercílio Luz contribua para a mobilidade urbana, mas de forma a não comprometer a possibilidade de uso pelas pessoas. "O compartilhamento me parece o caminho viável o caminho, mas prefeitura e governo do estado precisam acelerar os estudos e o planejamento de implantação, caso contrário a ponte vai continuar só um cartão postal de alto custo".

Acompanhe João Amin


João Amin
Voltar