Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
08:30
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
26/10/2017 - 15h36min

Audiência pública na Alesc vai debater o tráfico humano

Imprimir Enviar

Uma audiência pública vai debater, na Assembleia Legislativa, questões relacionadas ao tráfico humano e ao desaparecimento de pessoas. A reunião programada para 18h30min de segunda-feira (30), no Plenarinho, é organizada pela Comissão de Direitos Humanos do parlamento estadual. Vai reunir especialistas no tema e entidades envolvidas com o combate à criminalidade, e terá como palestrante a advogada Silvia Cristina Xavier, coordenadora do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico no Paraná, que vem se destacando no combate às redes especializadas neste tipo de crime. A proposta do encontro é dos deputados Mauro de Nadal (PMDB), que preside a Comissão, e Dirceu Dresch (PT).

O tráfico de pessoas é o deslocamento das vítimas para fins como o trabalho em condições análogas à escravidão, exploração sexual, extração de órgãos, adoção ilegal e qualquer tipo de servidão. O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) considera essa a terceira maior atividade criminosa do mundo e a de mais rápido crescimento entre as organizações criminosas transnacionais. Um único caso pode envolver dezenas de vítimas.

Conforme os 16 Núcleos de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (NETP), do Ministério da Justiça, houve aumento de 8% de vítimas deste crime entre 2015 e 2016: pulou de 740 para 797 pessoas, e admite-se que as estatísticas oficiais sejam subestimadas. Os centros agem na prevenção ao crime e na assistência aos envolvidos. A atuação dos criminosos está se sofisticando ao mesmo tempo em que as campanhas contra o crime estão enfraquecendo. O número de vítimas resgatadas caiu de 16 para dez, de 2015 para 2016. As denúncias na internet cresceram no plano internacional no mesmo período: em sites especializados hospedados em 21 países, os casos aumentaram de 1,3 mil para 1,5 mil desaparecidos sob a suspeita de tráfico humano.

26/10/2017
Assessoria de Imprensa
Gabinete Deputado Mauro De Nadal
(48) 3221-2702 / 99623-9974

Acompanhe Mauro de Nadal


Mauro de Nadal
Voltar