Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Acompanhe a programação pelo Youtube.


Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
17/05/2022 - 07h00min

Repiradores: Naatz pede ao MP agilidade em inquérito contra o governador

Imprimir Enviar
Foto: Deputado Ivan Naatz líder da bancada do PL na Alesc. (Divulgação)

A Assembleia Legislativa  aprovou requerimento do deputado Ivan Naatz,  líder da bancada do PL , dirigido ao Conselho Nacional do Ministério Público, em que solicita agilização da análise do pedido de desarquivamento de Inquérito para apurar suposta responsabilidade civil- improbidade administrativa do governador Carlos  Moisés ( Republicanos) na aquisição do 200 respiradores, em 2020, por  R$ 33 milhões pagos de forma antecipada, com dispensa de licitação e até hoje sem garantia de entrega.

Em abril do ano passado, a Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público de Santa Catarina promoveu o arquivamento do inquérito , com a ressalva de possibilidade de reanálise em caso de surgimento de novas provas. A decisão de arquivamento foi levada então ao Conselho Superior do Ministério Público de SC com julgamento do tema pela 3ª Turma Revisora  e teve voto pelo desarquivamento por parte da  procuradora Lenir Roslindo Piffer. Na sequência, houve pedido de vistas de dois conselheiros e a análise do processo continua suspenso desde maio do ano passado.

Naatz, que foi proponente e relator da CPI dos Respiradores na Alesc, e ainda autor de uma Ação Popular  que tramita na Vara da Fazenda Pública de Florianópolis  contra o governador e pedindo ressarcimento do dinheiro público, continua sustentando que houve a responsabilidade civil de Carlos Moisés pelos danos ao erário. "Não houve até agora nenhuma sentença judicial transitada em julgado de absolvição do governador  quanto a  sua omissão e  responsabilidade administrativa no caso. É de interesse público, portanto,  que as investigações prossigam e cheguem ao seu final ", sustenta.

* Comunicação -  Em 17-05 - 2022.
 

Acompanhe Ivan Naatz


Ivan Naatz
Voltar