Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
09:05 Sessão Ordinária
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
12/11/2015 - 12h42min

Novembro Azul conscientiza homens para prevenção do câncer de próstata

Imprimir Enviar
Luís Felipe Piovesan, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Urologia - Secção Santa Catarina

Cerca de 2.200 novos casos de câncer de próstata foram registrados no estado no ano passado. Estudos apontam que a cada 4 horas um homem é diagnosticado com a doença e a cada 20 horas ocorre uma morte provocada pelo tumor. As informações foram apresentadas pelo vice-presidente da Sociedade Brasileira de Urologia - Secção Santa Catarina, Luís Felipe Piovesan, na tribuna da Assembleia Legislativa, após a suspensão da sessão ordinária desta quinta-feira (12). O objetivo é divulgar a campanha Novembro Azul, que busca conscientizar os homens para a importância da prevenção contra o câncer de próstata.

De acordo com Piovesan, a doença se configura como um problema de saúde pública no Brasil. Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) indicam que a cada ano são descobertos aproximadamente 70 mil novos casos de câncer de próstata no país. O órgão vinculado ao Ministério da Saúde estima que a doença cause, anualmente, 14 mil mortes no Brasil. "O número é considerado elevado. Para se ter uma ideia, são registrados 58 mil novos casos de câncer de mama por ano. O câncer de próstata é uma demanda que tem menos visibilidade, muitas vezes é negligenciado pelos gestores públicos", disse o médico. "Trata-se de um problema que deve ser atacado de maneira sistemática. As ações devem ser pautadas na conscientização", complementou.

O câncer de próstata é o mais comum entre os homens, após os tumores de pele. Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), é o segundo que mais mata homens no mundo. "Os levantamentos alertam para aumento na incidência da doença, que está associado ao rastreamento e à maior expectativa de vida da população. A nossa preocupação é com o aumento da mortalidade, pela dificuldade de acesso ao sistema de saúde, pelo preconceito e resistência dos homens às medidas preventivas e aos tratamentos", afirmou Piovesan.

Para alcançar melhores resultados em termos preventivos, é fundamental que o homem faça o check-up anual para verificação do seu estado de saúde. A recomendação dos especialistas é que os homens procurem um urologista a partir dos 50 anos. No entanto, para os que têm histórico de câncer de próstata na família e os afrodescendentes, é aconselhada a rotina de exames a partir dos 45 anos.

O representante da Sociedade Brasileira de Urologia ressaltou a importância da realização dos  exames de dosagem de PSA e de toque retal para o diagnóstico do câncer de próstata. "A prevenção é detecção precoce da doença. Possibilita maior eficácia no tratamento. Os dois exames são complementares, um não exclui o outro. Vale enfatizar que o câncer de próstata não apresenta sintomas. Se esperarmos por eles, pode ser tarde demais."

O deputado Doutor Vicente Caropreso (PSDB), autor do requerimento que possibilitou o pronunciamento de Piovesan, declarou apoio à causa em nome do Parlamento catarinense. Também se manifestaram os deputados Julio Ronconi (PSB), João Amin (PP), Gabriel Ribeiro (PSD), Gean Loureiro (PMDB) e Leonel Pavan (PSDB).

Ludmilla Gadotti
Agência AL

Voltar