Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Acompanhe a programação pelo Youtube.


Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
18/05/2013 - 12h07min

Parlamento homenageia a Chapecoense pelos seus 40 anos de história

Imprimir Enviar
Sandro Pallaoro, atual presidente da Chapecoense, recebe placa em homenagem aos 40 anos do clube. FOTO: Fábio Queiroz/Agência AL

A trajetória do "Furacão do Oeste", como é popularmente conhecida a Associação Chapecoense de Futebol, foi celebrada na noite desta sexta-feira (17) com sessão solene promovida pela Assembleia Legislativa. A homenagem pela passagem dos 40 anos de fundação do clube aconteceu no Clube Recreativo Chapecoense e reuniu parlamentares, lideranças locais, torcedores e personagens que fizeram parte da história da agremiação.

A deputada Luciane Carminatti (PT), que juntamente com os deputados Narciso Parizotto (DEM) e Gelson Merisio (PSD) solicitou o evento, afirmou que a Chapecoense nasceu do esforço de um grupo de atletas empenhados fazer o futebol renascer no município, e hoje representa a força do oeste catarinense. A parlamentar revelou que, quando criança, ia ao estádio acompanhar os jogos da equipe na companhia do pai e com um radinho de pilha na mão. "Cresci vendo esse time crescer também. E sinto orgulho em ver que Chapecó agora também é a terra do bom futebol catarinense".

O surgimento da Chapecoense, em uma época em todos os clubes de futebol da cidade declinavam, disse o deputado Narciso Parizotto, só foi possível porque alguém teve a coragem de dar o primeiro passo, acreditando em um sonho que se agigantou e se transformou em realidade. "A criação da Chapecoense foi um projeto que teve seus altos e baixos, com lutas e dificuldades. Mas essa semente plantada há quarenta anos, germinou, saiu do chão, cresceu e hoje estamos colhendo os frutos".

Representando a Câmara Municipal de Chapecó, que atuou em parceria com a Assembleia Legislativa na promoção da solenidade, a vereadora Marcilei Vignatti afirmou que, passados 40 anos, o clube se transformou em um dos mais importantes símbolos da região, conseguindo aglutinar os amantes de futebol em uma única torcida. "Aqueles que antes torciam para outros clubes, aos poucos foram sendo contagiados com um sentimento de pertencimento. Nossos filhos não são mais Grêmio ou Internacional, mas Chapecoense", disse.

Em nome dos homenageados, Plinio David de Nes Filho, que na solenidade representava o pai, já falecido, destacou que o sucesso do clube é reflexo da garra e do jeito de ser dos cidadãos de Chapecó, que abraçam as causas nas quais acreditam. "Os chapecoenses têm dentro de si um amor muito especial por tudo que aqui é feito e sabem se doar por uma causa".

Em 40 anos, entre os 40 melhores
Fundada em 10 de maio de 1973, a Associação Chapecoense de Futebol surgiu do desejo de se criar um clube que agregasse toda a cidade em torno de um único projeto. A agremiação, segundo relata Eli Maria Bellani no livro “O futebol e a ocupação do espaço social em Chapecó (1919 – 1973)”, surgiu da união de atletas de equipes como Atlético Chapecó e Independente e contou em seus primeiros anos com nomes como Alvadir Pelisser, Heitor Pasqualotto, Altair Zanella, Lotário Immich e Vicente Delai.

O clube, cujas primeiras reuniões aconteciam em um almoxarifado do Departamento de Estradas e Rodagem (Atual Deinfra) e na porta de uma loja de confecções, atualmente destaca-se como uma das principais forças futebolísticas do estado. São quatro títulos catarinenses conquistados, (1977, 1996, 2007 e 2011) e uma Copa Santa Catarina (2006).

A Chapecoense registra ainda três participações na Copa do Brasil (2008, 2010 e 2012) e, em 2009, ascendeu à Série B do Campeonato Brasileiro, firmando-se assim, entre os 40 principais clubes do Brasil. Neste domingo (19), disputa em casa o título do Catarinense 2013 contra o Criciúma.

Comprometimento
Atual presidente da Chapecoense, Sandro Luiz Pallaoro acredita que o segredo da trajetória vencedora está no comprometimento da parte técnica e esportiva do clube e na paixão da sua torcida. Enquanto times como o Criciúma mantém folhas de pagamento de R$ 1,5 milhão, o Furacão do Oeste, revelou, se sustenta com apenas R$ 300 mil. "Não é o dinheiro que faz a diferença, mas o trabalho sério desenvolvido por todos, com o apoio da comunidade".

Atualmente, disse, a Chapecoense possui 7,2 mil sócios e 80% da sua torcida é constituída por jovens de até 25 anos, espalhados pelo Oeste catarinense e também no Sudoeste do Paraná e Noroeste do Rio Grande do Sul. Tudo alcançado por meio do trabalho contínuo e perseverança, como a conquista da 40a posição entre os melhores clubes do país, disse. "Nada foi fácil para a Chapecoense, mas é na dificuldade que vemos a garra de um povo e a sua determinação".

Participaram ainda da solenidade o deputado Reno Caramori (PP), o secretário regional de Chapecó, Eldimar Claúdio Jagnow; o prefeito de Chapecó José Cláudio Caramori, o vice-prefeito de Chapecó, Luciano José Buligon, o presidente da Câmara Municipal de Chapecó, vereador de Chapecó Marcio Hernani Sander; e o vice-presidente da Câmara de Chapecó,Ildo Adão Antonini.

Os homenageados

  • Plínio Arlindo de Nes - (in memoriam) empresário e colaborador, representado pelo seu filho, Plínio David de Nes Filho
  • Arthur Badalotti - ex-presidente, campeão em 1977
  • Carlinhos Marcon - ex-presidente, campeão em 1996
  • Edir Félix de Marco - ex-presidente, campeão em 2007
  • Sandro Luiz Pallaoro - atual presidente, campeão em 2011
  • Alvadir Pelisser - fundador da Associação Chapecoense de Futebol
  • Altair Zanella - fundador da Associação Chapecoense de Chapecó
  • João Rodrigues - secretário da Agricultura e Pesca e prefeito de Chapecó de 2005 - 2008 e 2008 - 2010

Foram entregues ainda certificados a todas as empresas que apoiaram o clube no ano de 2013.

Alexandre Back
Agência AL

Voltar