Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Acompanhe a programação pelo Youtube.


Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
02/08/2018 - 15h34min

Sistema integrado para prestação de contas dos municípios é tema de palestra

Imprimir Enviar
Projeto engloba soluções orçamentárias, de contabilidade e finanças, recursos humanos, tributários e portal de transparência para municípios
FOTO: Fábio Queiroz/Agência AL

Dando continuidade às atividades do seminário estadual de comemoração dos 45 anos de criação da União dos Vereadores de Santa Catarina (Uvesc), nesta quinta-feira (02) foi apresentado o projeto de Sistema Integrado de Gestão (SIG).  O sistema, concebido pelo Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE/SC), é voltado às câmaras e prefeituras com o objetivo de promover economia e transparência na prestação de contas dos municípios.

O projeto, que engloba soluções orçamentárias, de contabilidade e finanças, recursos humanos, tributários e portal de transparência, foi apresentado pelo titular da Diretoria de Controle dos Municípios (DMU) do TCE, Moisés Hoegenn. O auditor fiscal contou que, frequentemente, recebe muitas queixas de prefeitos e vereadores que têm dificuldades com o modelo de informática utilizado pelos municípios para o exercício da prestação de contas.

“Atualmente as prefeituras e câmaras trabalham com sistemas locados por empresas fornecedoras. E esses sistemas são propriedade dessas empresas que os instalam nos computadores das prefeituras e câmaras, então ocorre muito a questão de sistema inoperante, falha de computação, entre tantos outros problemas”, explicou o palestrante.

O diferencial do SIG se dá pela proposta de funcionamento “em nuvem”, ou seja, no meio digital, onde o TCE tenha acesso imediato aos dados computados pelos municípios. “Isso proporciona transparência, acesso instantâneo do TCE a esses dados. Vamos beber na fonte primária, vamos beber direto na fonte dos dados com o padrão completo”, destacou Moisés.

O projeto ainda está em fase de estudo e não tem previsão de lançamento, sendo ainda necessária a cotação oficial dos custos, o aprimoramento do sistema e demais trâmites legais. “A nossa expectativa é de geração de economia e transparência. Estaremos migrando para um modelo de propriedade pública. O projeto é pioneiro no Brasil e quem sabe no mundo”, frisou o palestrante.

 

Com a colaboração de Carolina Lopes/Agência AL

Voltar