Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Serviço temporariamente em manutenção.
Acompanhe a programação da TVAL pelo Youtube.


Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
31/07/2017 - 13h12min

Leilão de obras de arte vai beneficiar associação que acolhe crianças com câncer

Imprimir Enviar
Dilmar Loss, agricultor de Rio das Antas, e a filha Larissa, de 12 anos

O Palácio Cruz e Sousa, em Florianópolis, sedia no dia 4 de agosto um leilão beneficente com 74 obras doadas por artistas brasileiros e estrangeiros em prol da Associação de Voluntários de Saúde do Hospital Infantil Joana de Gusmão (Avos).

Toda a renda arrecadada no evento será revertida para a manutenção da Casa de Apoio Vovó Gertrudes. A instituição localizada em frente à unidade hospitalar, no bairro Agronômica, hospeda gratuitamente crianças e adolescentes de todo o estado que passam por tratamento contra o câncer. Também presta assistência aos familiares que acompanham os pacientes durante sessões de quimioterapia ou exames.

O leilão foi idealizado pela artista plástica Sandra Ferreira de Mello como uma ação voluntária. “É o segundo que organizo. O primeiro foi feito no ano passado com a proposta de arrecadar fundos para reformar a Casa Lar. Deu muito certo, conseguimos vender todas as obras”, disse.

Sandra conheceu a Casa de Apoio Vovó Gertrudes em janeiro deste ano, por indicação do pianista Pablo Rossi. “Fiquei encantada pelo trabalho realizado pela dona Gertrudes. A casa é muito bem cuidada, eles fazem tudo com um carinho muito grande. Todos deveriam conhecer. Na época eu já tinha a ideia de fazer outro leilão beneficente e então escolhi a Avos.”

Ao longo de três meses, Sandra fez contatos e visitou ateliês de artistas plásticos em busca de doação de obras para o leilão. “Os artistas sempre são solidários a causas como essa. É um prazer poder ajudar uma instituição assim”, falou, emocionada.

O acervo conta com obras de artistas consagrados como Juarez Machado, Rodrigo de Haro, Silvio Pléticos, Rubens Oestroem, Luciano Martins e Vera Sabino. “Os melhores pintores catarinenses fizeram questão de participar. Inclusive alguns fizeram obras especiais para o leilão”, revelou a idealizadora do evento.

Os artistas internacionais que contribuíram com a iniciativa são o espanhol Manoel Ortega e o francês Bernard Verdeille. “Fazer o bem alimenta a alma, renova nossas energias, nos traz inspiração. Fico muito emocionado em poder ajudar as crianças brasileiras. Ainda mais em um trabalho tão magnífico e imensurável”, salientou Verdeille, doador de quatro quadros para o leilão.

Além de telas, serão vendidos desenhos e esculturas em bronze, cerâmica, madeira, vidro e cristal. A expectativa é arrecadar cerca de R$ 150 mil. De acordo com a organizadora do evento, a maioria das peças será leiloada por lance livre. “Em alguns casos foram estabelecidos lances mínimos. Vale frisar que só serão aceitas transações com cartão de crédito. Para facilitar a venda, o valor pode ser parcelado de 5 a 10 vezes, dependendo da obra.”

Todas as peças originais estão expostas para visitação pública no Palácio Cruz e Sousa. Para que o público possa conhecer os trabalhos, também foi montada uma exposição de fotos das obras no Beiramar Shopping. A lista completa das obras que serão leiloadas está disponível no link https://www.dropbox.com/sh/c1h7xk6wk02pq5m/AACpFDsE62rnO5UV-WTtpXJRa?dl=0.

O trabalho da Avos
A Associação de Voluntários de Saúde do Hospital Infantil Joana de Gusmão completa, em agosto, 42 anos de atuação. Fundada em agosto de 1975 no antigo Hospital Edith Gama Ramos, a instituição filantrópica passou a integrar o Joana de Gusmão em 1980. Dessa forma, deu continuidade ao atendimento de crianças internadas ou em tratamento de saúde.

Atualmente, mais de 80 voluntários da Avos atuam na unidade hospitalar. “Somos conhecidos como canários da alegria por conta do guarda-pó amarelo que vestimos. Nossa intenção é levar alegria, entusiasmo, sorrisos para essa criançada doente, tão necessitada de carinho. Não só para as crianças, mas seus pais também, que ficam tão fragilizados. É uma forma de ajudá-los a superar as dificuldades”, ressaltou a presidente da associação, Maria Gertrudes da Luz Gomes.

Ela é a vovó Gertrudes que dá nome à casa de apoio construída e mantida pela Avos por meio de doações e projetos sociais. Destinada exclusivamente ao acolhimento de pacientes do HIJG em tratamento contra o câncer, a residência já tem três anos de funcionamento. A estrutura conta com 20 apartamentos com banheiros individuais para crianças e acompanhantes, brinquedoteca, auditório, sala de convivência, cozinha, lavanderia e capela ecumênica. O custo mensal para manutenção da unidade é de R$ 35 mil.

“A casa abriga muitas pessoas que vêm de todo o estado para fazer tratamento de câncer no nosso hospital infantil. Muitas não têm onde ficar quando as crianças não estão internadas. Então é um verdadeiro abrigo. Oferecemos hospedagem em um ambiente tranquilo e alegre pelo tempo que for necessário”, comentou Gertrudes. “Por isso, todas as ações feitas em benefício da Avos são importantíssimas. O fruto do leilão será maravilhoso, vai ajudar muito”, acrescentou.

Uma das famílias acolhidas na Casa de Apoio Vovó Gertrudes é a do agricultor Dilmar Loss, de Rio das Antas, cidade situada no Oeste catarinense a 420 quilômetros de distância da capital. Ele acompanha a filha Larissa, de 12 anos, em tratamento contra um câncer ósseo desde março deste ano. “Ela está em fase de quimioterapia. Já fez cirurgia e amputou a perna esquerda. Agora precisa fazer mais uma cirurgia no pulmão. Até terminar o tratamento, vamos ficar aqui.”

Dilmar destacou a importância do trabalho desenvolvido pela Casa de Apoio. “Quando viemos para Florianópolis com a suspeita de câncer para consultar com uma especialista no hospital infantil, não conhecíamos nada. A gente nunca tinha vindo, nem a passeio. Chegamos só com a roupa do corpo, não viemos preparados para ficar. Quando a suspeita foi confirmada, a assistente social nos encaminhou para a casa de apoio. Foi a melhor coisa pra gente. Foi um baque muito grande saber que a minha filha tem câncer. Mas fui confortado e amparado pelos profissionais que trabalham na casa. Eles tratam a gente como se fosse da família. Só sabe a importância quem passa por isso. Além disso, pagar hotel seria muito caro”, disse, agradecido.

 

Serviço:
Leilão de arte beneficente em prol da Avos
Quando: 4 de agosto, às 19h30
Onde: Palácio Cruz e Sousa, sede do Museu Histórico de Santa Catarina (Praça XV de Novembro, Centro, Florianópolis)
Quanto: entrada gratuita
Visitação: de 31 de julho a 4 de agosto



 

Ludmilla Gadotti
Agência AL

Voltar