Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Acompanhe a programação pelo Youtube.


Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
09/08/2022 - 16h28min

Deputados debatem abandono do Oeste e licença ambiental para trilhas

Imprimir Enviar

FOTO: Bruno Collaço / AGÊNCIA AL

A riqueza e o abandono do Oeste barriga-verde e a exigência de licença ambiental para evento de trilha com motos foram debatidos na sessão de terça-feira (9) da Assembleia Legislativa.

“Distante dos centros de consumo, com precária infraestrutura, topografia acidentada, neste ambiente nasceu a mais avançada estrutura de produção de proteína animal”, afirmou Jaksom Castelli (União).

Segundo o deputado, que leu na tribuna uma análise de autoria de Neivor Canton, presidente da mítica Cooperativa Aurora, “o abandono crônico levou a região a acalentar o sonho de criar o estado de Iguaçu”, divisionismo superado pela sagacidade do ex-governador Celso Ramos, que criou a Secretaria dos Negócios do Oeste há 60 anos.

De acordo com Jaksom, o sucesso produtivo da região deve ser creditado exclusivamente ao capital humano.

“Esses homens nunca esperaram apoio oficial, o estado era e continua ausente, o déficit permaneceu, as estradas da região não fazem justiça à riqueza que lá trafega, inexistem ferrovias, a água é escassa e a energia limitada. Como investir com tanta deficiência?”, questionou o representante de Quilombo.

O parlamentar ainda criticou a paralisação das obras de recuperação da SC-283, entre Concórdia e Arvoredo e entre Chapecó e Palmitos; lembrou que a pior rodovia federal está localizada no Oeste, a BR-163, que liga São Miguel do Oeste à BR-280, no Paraná; e que a região também abriga a pior rodovia estadual, que liga São Lourenço do Oeste a Campo Erê.

Já o deputado Fabiano da Luz (PT) lamentou a cobrança de licença ambiental para a liberação de evento de trilha com motos.

“Recebi a informação de que iria acontecer um evento com mais de mil trilheiros, mas exigiram licença ambiental. Para cada evento uma nova exigência”, reclamou Fabiano.

Sargento Lima (PL) concordou com o colega.

“Quero saber aonde vamos chegar”, ironizou Lima.

Vídeos contraditórios
Jessé Lopes (PL) exibiu na tribuna vídeo em que a coordenadora do projeto Geração Chico Mendes relata abusos cometidos pela polícia durante a Operação Trem Bala, que prendeu procurados pela justiça e realizou buscas e apreensões autorizadas pela Justiça naquela comunidade.

Em seguida, Jessé exibiu vídeo feito pelos policiais que participaram da busca realizada dentro da instituição Geração Chico Mendes.

“Uma tentativa de armação contra a operação policial”, resumiu Jessé.

Alexandre investigado?
Kennedy Nunes (PTB) repercutiu decisão da ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), que consultou o Ministério Público Federal (MPF) sobre a oportunidade de investigar o ministro Alexandre de Moraes por prevaricação.

“Começo a ver um pouquinho de luz no STF quando ontem a ministra Cármen Lúcia decidiu mandar para a Procuradoria-Geral da República (PGR) o pedido para abrir uma investigação por prevaricação e ativismo judicial contra Alexandre de Moraes. Vamos ver o que vai dizer a PGR, se vai fazer valer a lei ou vai entrar no balaio em que está parte da Suprema Corte”, discursou Kennedy, referindo-se ao procurador-geral, Augusto Aras.

Atenção MPSC
Sargento Lima pediu que o Ministério Público de Santa Catarina “preste atenção” ao caso de uma empresa de Joinville que está de malas prontas para mudar para o Paraná por se sentir perseguida em Santa Catarina.

“A concorrência começou a trabalhar com política, envolvendo entes políticos para se sentir mais energizada, para ter mais força para encarar o mercado”, ironizou Lima, que apontou que operação realizada pelo Fisco de Alagoas e que atingiu a empresa de Joinville “só atacou um lado”.

Trágico acidente
Ismael dos Santos (PSD) destacou o acidente ocorrido no último fim de semana na Via Expressa, na Capital, e que causou a morte de quatro pessoas, incluindo uma mãe e seu filho de quatro anos. Segundo Ismael, o motorista que causou o acidente estava embriagado.

“Testemunhas disseram que o carro foi atingido por um motorista de 24 anos cujo veículo atravessou a pista e o canteiro. Exames preliminares realizados no corpo do motorista indicam que ingeriu bebida alcóolica”, revelou Ismael, acrescentando que a cada 30 minutos uma pessoa morre em acidente causado por motorista embriagado.

 

 

Vítor Santos
Agência AL

Voltar