Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Acompanhe a programação pelo Youtube.


Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
25/05/2022 - 17h18min

Deputados cobram mais leitos de UTI Neonatal e pagamento de emendas

Imprimir Enviar

FOTO: Bruno Collaço / AGÊNCIA AL

Representantes das bancadas do PT, PL e PSD cobraram a ampliação dos leitos de UTI Neonatal e pediátrico, além do pagamento das emendas impositivas relativas à saúde durante a sessão de quarta-feira (25) da Assembleia Legislativa.

“A situação dos leitos de UTI neonatal e pediátrica é grave, sempre tivemos defasagem de leitos ao longo da história, depois tivemos a pandemia onde houve ampliação importante de leitos, mas depois gradativamente os leitos foram descredenciados e agora temos a preocupação com a ampliação de leitos”, afirmou Neodi Saretta (PT).

Adriano Pereira (PT) concordou com o colega e citou o caso de Blumenau.

“Faltam leitos de UTI neonatal no hospital Santo Antônio, esperamos que o governo olhe com atenção, precisamos de no mínimo mais 10 leitos de UTI”, informou Pereira, que lamentou o caso de recém nascido que viajou de ambulância até Chapecó para encontrar um leito de UTI.

Rodrigo Minotto (PDT) e Bruno Souza (Novo) também destacaram a falta de UTIs para crianças.

"Hoje a Secretaria da Saúde está tentando comprar uma vaga de UTI em outro estado para uma criança", revelou Minotto.

"Estou acompanhando de perto esta situação", declarou Bruno, acrescentando que de acordo com pesquisa que fez, nesta quarta-feira há cerca de dez crianças esperando um leito de UTI.

Saretta, por outro lado, criticou o Executivo por não ter liberado as emendas impositivas direcionadas à saúde.

“Na prestação da Secretaria de Estado da saúde (SES) aparecia zero no valor pago das emendas impositivas da saúde, mas vem aí o período eleitoral. A justificativa? A Fazenda não liberou. É uma pena que a SES não tenha autonomia administrativa e financeira, para isso precisa de recursos em forma de duodécimo”, defendeu o presidente da Comissão de Saúde.

Ismael dos Santos (PSD) e Marcius Machado (PL) apoiaram o ex-prefeito de Concórdia.

“É imprescindível que se cumpra a lei, temos 1% do orçamento do estado para remanejar. Fiz uma proposta ao Presidente da Casa: vamos devolver R$ 200 mi para que o estado pague efetivamente as emendas impositivas. Não é para nosso gabinete, para nosso mandato, é para o município”, justificou Ismael.

“Inadmissível que a SES não tenha autonomia financeira, as emendas impositivas não estão sendo pagas”, reforçou Machado, que pediu apoio para emenda à Constituição de sua autoria que permite o pagamento de emendas aos hospitais filantrópicos fundo a fundo, como já acontece com os municípios.

Privatização da Eletrobras
Padre Pedro Baldissera (PT) criticou decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) de autorizar a continuidade do processo de privatização do sistema Eletrobras.

“O TCU aprovou a privatização Eletrobras, isso traz para a Santa Catarina a reflexão, é bem verdade que não está privatizada, mas em processo de privatização. O controle será feito pelo capital privado e a operação vai movimentar de R$ 22 bi a R$ 26 bi, isso dependendo do preço final dos papéis”, pontuou.

Para Padre Pedro, a privatização não resultará em redução na conta de luz.

“Sabemos na prática que isso não vai acontecer, o foco do capital é o acúmulo, nunca vão colocar para perder, pelo contrário, as taxas de energia vão aumentar e quem vai pagar é o contribuinte”, especulou o parlamentar.

No caso da Eletrosul, sediada em Florianópolis, as informações, segundo o deputado, são de que pode migrar para o Rio de Janeiro.

Plano de carreira da PMSC
Sargento Lima (PL) demonstrou ceticismo com o envio, pelo Executivo ao Legislativo, do plano de carreira dos policiais militares.

“Dois ex-comandantes-gerais da PMSC e dos Bombeiros me disseram que o Plano de Carreira dos Praças estava pronto para ser apresentado. Na semana passada perdi meu tempo como um paspalho caminhando com as pessoas da Aprasc para não enviarem o plano. Acredito que deixem para a última semana, daí colocam um jabuti no meio, fazem uma reunião de líderes, olha, temos que votar para ontem, não pode pedir vista, estudar, conversar com as pessoas”, ironizou Lima.

Doação de projetos
Marcius Machado reclamou das dificuldades impostas pelo Executivo para receber em doação projetos de engenharia, conforme previsto em lei aprovada pela Casa e proposta pelo deputado.

“Tenho engenheiros e arquitetos na minha equipe de trabalho, doo os projetos para os municípios. Temos três projetos de grama sintética para Lages e um para Urupema, eles vão e voltam, o que está acontecendo?”, questionou Machado, que reclamou do governador Carlos Moisés. “Me chama por último para ficar atrás, não me dá a palavra, a palavra é de outro deputado que não é da região”.

Jesse Koz
Kennedy Nunes (PTB), que presidiu a sessão, sugeriu e o Plenário concordou com a observação de um minuto de silêncio em homenagem ao camboriuense Jesse Koz, que morreu vítima de um acidente de trânsito nos EUA.

“Viajava de fusca pelos EUA em sua meta de chegar ao Alaska, juntamente com o seu cão Shurastey, e que ontem, de forma traumática, sofreu um acidente. Tinha 29 anos e lembro aqui que com um pouco menos eu quis fazer uma aventura parecida, não tinha um fusca, mas tinha um gol, vendi o gol e por quatro meses viajei”, revelou Ismael, que lembrou uma frase do jovem catarinense: “a vida é mais do que ficar só esperando”

“Era uma dupla que empolgava, um homem e o cão, seu amigo fiel, fiz um paralelo com minha vida, com a Alanis”, registrou Marcius Machado.

Junho branco
Ismael contou na tribuna que projeto de sua autoria, relatado pelo deputado Fernando Krelling (MDB), denominará a semana de políticas antidrogas de “junho branco”.

“É uma forma de atrair a juventude para a reflexão sobre os dilemas das drogas”, explicou Ismael, que planeja reunir as mais 150 comunidades terapêuticas que atuam no estado para trocar experiências.

Alerta ao MP Eleitoral
Ivan Naatz (PL) fez um alerta ao Ministério Público Eleitoral que atua no estado, haja vista as reuniões realizadas na Casa da Agronômica com políticos para tratar de eleição, mas que são bancadas com recursos públicos.

“Os prefeitos do MDB no palácio do governo, eles estão na deles, têm projetos, precisam do estado para encaminhar suas obras, participam na esperança de ver o seu município atendido, mas o que se faz é deselegante e antidemocrático, muitos prefeitos se sentiram constrangidos a assinar documentos e a fazer coisas em troca de apoio”, relatou Ivan, que repetiu a pergunta “quem paga a conta?”

Dia da indústria
Valdir Cobalchini (MDB) leu na tribuna artigo assinado pelo presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Mário Aguiar, sobre o Dia da Indústria, celebrado em 25 de maio.

Segundo Aguiar, Santa Catarina é uma das unidades da federação mais industrializadas do Brasil, razão pela qual a indústria seria o coração do estado.

“Mais do que mercadorias, o setor produz impostos, renda e qualidade de vida”, citou Cobalchini, que destacou a participação da indústria no PIB estadual de 17%, o emprego de 800 mil trabalhadores, cerca de 34% da força formal de trabalho.

Augusto Antonio Francio
Cobalchini lamentou a morte do empresário Augusto Antonio Francio (78), de Caçador, vítima de um acidente vascular cerebral hemorrágico na semana que passou.

“Foi um grande industrial, proprietário da Frameport, que produz portas em grande número. Em breve será a maior produtora de portas do mundo, com investimento de R$ 500 mi na ampliação, aumentando em mais de 30% a capacidade”, revelou.

Visita a municípios
Adriano Pereira exibiu na tribuna vídeo de visita que fez a São Pedro de Alcântara, na Grande Florianópolis, para verificar a situação da SC-281, que liga o município a Angelina.

“Estivemos onde devem ser iniciadas as obras de pavimentação até Angelina”, revelou Pereira, que destacou as melhorias futuras para o turismo rural e para a agricultura familiar.

 

Vítor Santos
Agência AL

Voltar