Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Acompanhe a programação pelo Youtube.


Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
05/02/2013 - 17h51min

Luciane Carminatti assume presidência da Bancada Feminina

Imprimir Enviar
Reunião da Bancada Feminina. Foto: Carlos Kilian

Na tarde desta terça-feira, as deputadas Ana Paula Lima (PT), Angela Albino (PCdoB), Dirce Heiderscheidt (PMDB) e Luciane Carminatti (PT) elegeram a nova presidente da Bancada Feminina da Assembleia Legislativa. O acordo para que a cada ano uma das parlamentares seja presidente levou ao posto a deputada Luciane. Já presidiram a bancada Ana Paula Lima e Angela Albino.

Levar a todos os municípios catarinenses as políticas públicas e ações de segurança e dignidade da mulher estão entre os principais objetivos. .“Vamos dar continuidade aos trabalhos já desenvolvidos e dar ênfase a esta rede de atendimento e proteção. Nós temos acompanhado em diversas regiões o crescimento da violência contra a mulher. Vamos buscar maior visibilidade junto ao governo federal e à Secretaria de Políticas para as Mulheres, que tem lançado diversos programas e editais. Queremos que isso chegue a todos os municípios”, destacou Luciane.

Segundo a deputada, a bancada deve se reunir ainda nesta semana com o novo presidente da Assembleia, Joares Ponticelli (PP), para que as ações e projetos ganhem visibilidade. Outro pleito será o encaminhamento de projeto de lei da bancada para a criação da “Galeria Lilás”, que deve destacar todas as deputadas que já atuaram no Parlamento catarinense. “Queremos lançar ainda em março esta galeria”, planeja Luciane.

Perda de espaço na Mesa
Durante a reunião, foi ressaltado o trabalho desenvolvido, em 2012, pela deputada Ana Paula, que ocupava também espaço na Mesa, na 4ª secretaria. Angela Albino lamentou a perda de espaço feminino na Mesa. “Apesar de termos a maior representação feminina da história da Assembleia, infelizmente, não temos nenhuma representante na nova Mesa. Independente do nome, era de extrema importância nossa presença para o fortalecimento dos trabalhos da bancada”, disse durante a reunião.

Voltar