Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Acompanhe a programação pelo Youtube.


Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
08/11/2012 - 13h20min

Comissão debate auxílio estudantil junto à reitoria da Udesc

Imprimir Enviar
Reunião da Comissão de Educação

A necessidade de ampliar o número de bolsas do Programa de Auxílio Permanência Estudantil (Prape), da Universidade Estadual de Santa Catarina (Udesc) foi tema da reunião extraordinária da Comissão de Educação Cultura e Desporto, que na tarde desta quarta-feira (7) recebeu o reitor da instituição, Antonio Heronaldo de Souza. Presidido pelo deputado Carlos Chiodini (PMDB), o encontro contou com a participação dos demais membros da comissão e manifestou solidariedade ao pedido da reitoria, que visa uma audiência com o governo do estado para debater a questão. “Acatamos esta solicitação, e a partir de hoje estaremos mantendo um contato com o executivo para gestionar, na busca da suplementação do recurso para aumentar a possibilidade do auxilio moradia e alimentação”, destaca Chiodini. 
Diante da situação, o deputado Sandro Silva (PPS) sugeriu uma emenda modificativa no orçamento estadual. “Acredito que no momento este seja o caminho mais fácil para se incrementar os recursos do auxilio permanência da Udesc. Hoje, o Prape tem um investimento de R$ 1 milhão, acredito que com mais R$ 2 milhões teríamos um total de R$ 3 milhões, que possibilitariam uma amplitude no número de auxílios”, observa.     
Segundo o reitor, a principal preocupação da instituição, que atualmente possui um pouco mais de 10 mil alunos na graduação, é não poder contemplar os estudantes ao lngo dos anos. “Estimasse que daqui a três anos cerda de 3 mil estudantes tenham necessidade de um auxilio, tanto de alimentação como de hospedagem, e dentro do nosso sistema de cotas, que destina 30% de vagas reservadas em cada curso, sendo 20% para candidatos que tenham cursado integralmente o ensino fundamental e médio em instituições públicas de ensino e 10% para candidatos pertencentes ao grupo racial negro, que destina 10% de vagas para negros e 20% para estudantes oriundos de escolas públicas, ficaria inviável”, ressalta.
De acordo com Heronaldo, hoje a instituição tem investido R$ 1 milhão por ano, com 368 auxílios no valor de R$ 250 para moradia e R$ 200 para alimentação, sendo que os acadêmicos classificados podem receber um ou os dois auxílios dependendo do resultado socioeconômico. “Entendemos que dos 3 mil estudantes que ingressarem na Udesc, mais da metade necessitará do auxilio, que nós estimamos em R$ 7 milhões para contemplar esta ação”.
Os deputados Ismael dos Santos (PSD) e Mauro de Nadal (PMDB) também participaram da reunião.

Programa
O Programa de Auxílio Permanência Estudantil beneficia com auxílio financeiro alunos de graduação que comprovam vulnerabilidade socioeconômica para sua permanência na instituição, visando amenizar despesas como de alimentação e moradia. O auxílio tem duração de 12 meses, podendo ser renovado por períodos sucessivos, observando o prazo máximo para integralização curricular. (Tatiani Magalhães)

Voltar