Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Acompanhe a programação pelo Youtube.


Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
01/03/2013 - 13h00min

Líderes das bancadas partidárias anunciam prioridades de atuação

Imprimir Enviar
Sessão Ordinária - Plenário Osni Régis. Foto: Solon Soares - Arquivo

Em um ano em que estão previstos investimentos no estado da ordem de R$ 7,5 bilhões e a análise de projetos importantes, como a nova legislação ambiental catarinense e reajustes salariais de diversas categorias do funcionalismo, como o magistério, os líderes de bancadas anunciam seus planos e prioridades para o período.

 

 

 

PMDB

O PMDB, agremiação que está entre as maiores da Casa, adiantou que fará valer sua força no Legislativo estadual, atuando para tornar mais democrática a pauta de discussões.  “Não podemos deixar de lembrar que somos a maior bancada, com nove dos 40 deputados e vamos trabalhar firmes neste ano”, disse o líder do partido, Carlos Chiodini.

Nos planos da sigla, disse o parlamentar, está a manutenção do apoio à administração Raimundo Colombo, principalmente a projetos voltados à reativação da economia estadual. “Um dos grandes desafios do nosso estado é crescer a passos largos, mesmo em condições adversas, porque vemos que os cenários de desenvolvimento e economia mudaram e não cresceram o tanto que imaginávamos”.

 

PSD

A preocupação é comum ao PSD. À frente de uma das maiores forças do Parlamento estadual, composta por nove deputados, Darci de Matos afirmou que a baixa movimentação econômica e as perspectivas de unificação do ICSM em 4% na transação de mercadorias entre os estados podem criar um cenário de forte diminuição das receitas estaduais e municipais. “Somos um estado produtor e vendemos nossas mercadorias com ICMS entre 7% e 12%. Isso será a falência de Santa Catarina”. O fato, disse, exigirá forte mobilização do partido nas esferas estadual e federal.

 

PT

A nova líder do PT, Ana Paula Lima, por sua vez, afirmou que acontecimentos recentes, como as greves no funcionalismo público e a onda de atentados criminosos, devem concentrar os esforços da sigla na fiscalização das áreas da saúde, educação, segurança pública e mobilidade urbana.  “O Estado tem vivido situações caóticas nesses setores e não é mais possível ficar à mercê do sucateamento dessas áreas por falta de iniciativa ou de vontade política”.

O foco da bancada, disse a parlamentar, também será acompanhar a aplicação dos R$ 7,5 bilhões contratados pelo Executivo junto a agências de financiamento. “Vamos denunciar irregularidades, caso sejam identificadas”, disse.

 

PP

Valmir Comin, líder do PP, destacou que os deputados da agremiação também se somarão, de forma prioritária, à tarefa. “Como estes recursos vêm por empréstimo, e não a fundo perdido, terão de ser muito bem investidos nas vertentes a que se destinam – saúde, educação, ação social e infraestrutura. Em todos os momentos a bancada estará atenta e atuante”, frisou.

 

PSDB

No PSDB, a principal meta anunciada é no apoio à consolidação dos serviços de transparência no Parlamento catarinense. Sob sua liderança, disse Dóia Guglielmi, o partido se manterá coeso em sua linha programática, mas com abertura para que cada membro possa expressar sua individualidade. “A bancada atuará em sintonia e união, levando em conta as decisões firmadas em conjunto, mas respeitando também as bandeiras de cada deputado”, disse.

 

Representação única

Partidos com representação única no Palácio Barriga Verde, PDT, PCdoB e PPS (o PTB preferiu não se manifestar), também adiantaram os objetivos traçados para o ano. 

 

PDT

O deputado Sargento Amauri Soares, do PDT, ressaltou que sua atuação será voltada principalmente à defesa dos servidores públicos estaduais e aos trabalhadores da iniciativa privada, por meio de projetos como o do salário mínimo regional. “Vamos votar contra todos os projetos que beneficiam apenas uma casta do funcionalismo em detrimento da maioria e protestar contra qualquer retirada de direitos”.

Já no campo econômico, anunciou Soares, o PDT pretende intensificar o apoio aos movimentos populares. “Vamos votar contra todos os projetos que concedem isenção fiscal para monopólios nacionais e estrangeiros, e apoiar as medidas que ajudem os pequenos agricultores e comerciantes”.

 

PCdoB

Pelo PCdoB, Angela Albino anunciou que o partido atuará para que Santa Catarina receba parte dos investimentos em infraestrutura anunciados pelo governo federal para a Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas 2016.  “Nossa articulação com o Ministério do Esporte irá garantir que nosso estado seja beneficiado pelo grande legado de infraestrutura, geração de emprego e inclusão social que advirá destes eventos esportivos. E, não podemos perder o foco do investimento no esporte amador como vetor de desenvolvimento social para combate à criminalidade e tráfico de drogas”, disse.

 

PPS

Já Altair Guidi tem como meta consolidar a representação do PPS pelo estado, visando ampliar sua atuação parlamentar. “Nos municípios nos quais elegemos representantes em 2012, desenvolveremos parcerias com os eleitos e demais lideranças locais, objetivando capacitar o partido para enfrentar os desafios que lhe são propostos pelas comunidades locais”.

 

Alexandre Back e Ludmilla Gadotti
AGÊNCIA AL

Voltar