Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Acompanhe a programação pelo Youtube.


Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
21/09/2022 - 14h17min

Árvores nativas embelezam fachada principal do Palácio Barriga Verde

Imprimir Enviar
Muda de Pau-Brasil
FOTO: Rodolfo Espínola/Agência AL

Neste Dia da Árvore (21), a Assembleia Legislativa comemora um ano do plantio de três mudas representativas do Brasil e de Santa Catarina no jardim norte da fachada principal do Palácio Barriga Verde: o Pau-Brasil, que deu origem ao nome do nosso país, a Espinheira Santa, planta medicinal símbolo do estado, e a Imbuia, árvore símbolo de Santa Catarina. Os exemplares nativos foram plantados em parceria com os dirigentes da Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Afalesc) e do Sindicato dos Servidores da Alesc (Sindalesc).

O plantio fez parte do projeto denominado “Pegada Ambiental”, que entregou 40 mudas de espinheira santa aos parlamentares e visa estimular a divulgação aos visitantes do prédio destas espécies nativas. O projeto prevê ainda a instalação de um Jardim Medicinal dentro das dependências do Palácio Barriga Verde, mais especificamente nos jardins de inverno.

A data de 21 de setembro foi instituída a fim de conscientizar e ajudar os brasileiros a refletirem sobre a importância das florestas para os seres vivos. As florestas são base para a preservação da biodiversidade, dando equilíbrio aos ecossistemas. Além disso, estão relacionadas à situação de rios e ao abastecimento de água, necessárias à agricultura, indústria e ao consumo humano e desempenham papel fundamental na manutenção das temperaturas.

No Brasil há seis biomas: Caatinga, Pampa, Pantanal, Mata Atlântica, Cerrado e Amazônia. Uma das estratégias de preservação é a criação de unidades de conservação (UCs) e, segundo dados do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), há mais de 335 unidades federais desse tipo no país.

Ney Bueno
Agência AL

Voltar