Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Serviço temporariamente em manutenção.
Acompanhe a programação da TVAL pelo Youtube.


Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
Publicado em 30/09/2021

A trajetória política

Imprimir Enviar
Empresário Volnei Weber entrou na política em 2008 como candidato a vereador

Casado com Simonete Locks Weber, pai de Jorge Luiz, Jordhana e João Lucas (já falecido), e avô de Miguel, Volnei Weber iniciou sua carreira política em 2008 quando decidiu ser candidato a vereador em São Ludgero. Foi eleito com 370 votos e já no primeiro ano pediram que o empresário assumisse a presidência do Legislativo, mas ele decidiu primeiramente observar e aprender os trâmites políticos. “No último ano acabei aceitando a presidência e um dos destaques deste período é que depois de 52 anos do município conseguimos, com economia e disciplina, comprar uma sede própria para a Câmara de Vereadores com 500 metros quadrados.”

Após esse período, aceitou o convite para ser candidato a prefeito de São Ludgero e numa eleição acirrada, venceu com a diferença de 85 votos. O primeiro ano da gestão foi de economia e de aprendizado, mas logo seu espírito empreendedor surpreendeu os apoiadores. “Para pavimentar uma rua de 100 metros foi aquela dificuldade, cheguei a pensar que iríamos fazer duas ou três ruas no mandato. Terminamos com mais de 70 ruas pavimentadas. Não tivemos recursos de emendas, era tudo com recursos próprios.”

Volnei foi reeleito prefeito com 80% dos votos e, no meio do mandato, no último prazo possível, lançou-se candidato a deputado estadual. Volnei diz que quando decidiu ser candidato a deputado estadual foi para atender a comunidade de São Ludgero e que foi uma decisão difícil, “não por mim, mas pela equipe, estávamos num mandato de excelência”.

Como prefeito, ele contava com uma equipe técnica para buscar resultado. “Se estamos numa equipe, o líder se destaca pelo resultado, e não por amizade. Tinha equipe que trazia bons resultados e as pessoas da cidade disseram que não precisava mostrar mais nada e que deveria galgar voos mais altos para buscar mais resultados para região. O vice-prefeito já despachava no mesmo gabinete, na mesma mesa, com participação efetiva, sabia o que fazer e como fazíamos. E assim foi feito, eu fui para outro caminho e ele assumiu a prefeitura e depois foi reeleito prefeito.”

Na campanha, Volnei rodou 41 mil quilômetros e muitos presidentes de partido de outras cidades não queriam promover reuniões com ele porque já tinham compromisso com outros candidatos. “Foi corrido, uma campanha sem um rascunho, foi pé na estrada. Fiz 41 mil votos”, orgulha-se

Sobre o futuro político, Volnei diz que pretende ser candidato à reeleição e que como homem público, quando um desafio bate na porta, se ele tiver a possibilidade de fazer um bom trabalho, não recusa oportunidades. E salienta que, dos 42 aos 55 anos de vida tem se doado à gestão pública, mesmo não dependendo dela para sobreviver, por isso no futuro acredita que poderá deixar espaço para outra liderança. “Vou encarar mais uma eleição estadual, e depois vamos ver o que acontece.”

Volnei defende que a política é para quem gosta de conversar, de observar, para quem gosta de calor humano e aprende com culturas diferentes. “Isso a gente leva para a vida, a nossa vida é um eterno aprendizado.” Ele considera gratificante poder levar à população recursos para obras e ações, muitas vezes solicitadas há anos, mas que acabam não saindo, pois se os recursos são do próprio povo, ele merece ter seus pedidos atendidos.

Voltar