Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
00:15 Sessão Ordinária
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
09/08/2018 - 13h04min

Lançada Frente Parlamentar em Defesa da Cadeia Produtiva da Reciclagem

Imprimir Enviar

FOTO: Solon Soares/Agência AL

Na tarde desta quarta-feira (8) foi instalada na Assembleia Legislativa de Santa Catarina a Frente Parlamentar em Defesa da Cadeia Produtiva da Reciclagem. O lançamento contou com a presença de agentes do setor, que apresentaram suas ideias para o desenvolvimento da frente que visa implementar mecanismos de incentivo do exercício da reciclagem no estado.

Integram a associação suprapartidária os deputados Cesar Valduga (PCdoB), presidente, Moacir Sopelsa (MDB), como vice, Valdir Cobalchini (MDB), Rodrigo Minotto (PDT), Luciane Carminatti (PT), Milton Hobus (PSD), João Amin (PP), Maurício Eskudlark (PR), Ana Paula Lima (PT), Mario Marcondes (MDB), Dalmo Claro (PSD), Cleiton Salvaro (PSB) e Darci de Matos (PSD).

Entre as reivindicações mais citadas pelos representantes da classe durante o lançamento foi o pagamento do serviço de triagem feito pelos catadores de lixo. “A valorização do catador dentro desse contexto é essencial para que eles consigam ampliar seus galpões de triagem, comprar seus maquinários e não depender exclusivamente do apoio tanto das prefeituras, quanto do privado, porque de fato eles têm um valor pelo trabalho que deve ser valorizado para que eles possam fazer todas essas melhorias e a gente avançar. Vai ser uma melhoria para o estado em geral”, frisou a presidente da Associação Catarinense de Engenheiros Sanitaristas, Thaianna Cardoso.

O gasto aproximado com aterros em todo o estado é de R$ 400 milhões por ano. De acordo com Dorival dos Santos, presidente da Federação Catarinense de Catadores e Catadoras de Lixo, só em Florianópolis, mensalmente são recolhidas mil toneladas de lixo reciclado.

“O pagamento dessa triagem é muito importante, porque dessa forma o lixo deixa de ir pro aterro, então se você falar em números, seria uma economia para o poder público, sem falar na importância para os trabalhadores, para estruturação das cooperativas e associações dos catadores”, explicou Dorival.

Agora oficialmente instalada, a frente tem o objetivo de implementar mecanismos de cooperação entre os entes federativos para o desenvolvimento de ações conjuntas em defesa da cadeia da reciclagem, além de propor e analisar projetos de lei referentes ao tema, realizar eventos sobre reciclagem e atuar como interlocutora entre o Parlamento estadual e as entidades ligadas ao setor.

 

Com a colaboração de Carolina Lopes/Agência AL

Voltar