Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
17/01/2023 - 14h54min

Reportagem da Agência AL auxilia o projeto ProFranca, de Imbituba

Imprimir Enviar
Instituto Australis, em Imbituba, atua na preservação das baleias-francas.
FOTO: Rodolfo Espínola/Agência AL

Uma reportagem especial da Agência AL, a Agência de Notícias da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), auxilia o projeto ProFranca, desenvolvido em Imbituba pelo Instituto Australis, que desde os anos 1980 preza pela preservação e monitoramento das baleias-francas no Sul do Brasil.

O fotógrafo e mergulhador italiano Luca Crudeli, após conhecer o projeto por meio da matéria jornalística, decidiu destinar a venda das 31 fotografias feitas ao longo de 20 anos de mergulho no Brasil, Egito, Moçambique, Tanzânia, Indonésia, Estados Unidos, México e outros países, que estão sendo expostas no Museu de Arte de Brasília (MAB),  e que retratam os mistérios dos oceanos até 26 de fevereiro, para o projeto catarinense.

Além da possibilidade de visitar a mostra in loco, também é possível conferir as imagens e também adquiri-las pelo site. A exposição é, primeiramente, decorrente da preocupação de Crudeli com a conservação dos mares e sua importância para o futuro da humanidade. Suas viagens de mergulho são sempre pautadas pela necessidade de documentar espécies marinhas ameaçadas de extinção pelo aumento da temperatura dos oceanos.  A exposição ‘Soul do Mar’ está aberta todos os dias, exceto terça, das 10h às 19h.

A mostra ‘Soul do Mar’, tem curadoria do também fotógrafo Fabrício Zago, produção da Cris Malheiros e conta com apoio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo de Brasília. O projeto ProFranca, que conta com patrocínio da Petrobras e do Governo Federal, promove o monitoramento da espécie em sobrevoos, na terra e por meio de pesquisa embarcada, realizando o censo populacional, a fotoidentificação dos indivíduos e estudos sobre ocorrência, uso de hábitat e alimentação.

Em paralelo, desenvolve ações de educação ambiental e sustentabilidade, revelando a importância da preservação do ambiente costeiro, junto às comunidades do litoral. Para saber mais: www.baleiafranca.org.br e no Instagram.

Fabrício Zago enfatiza que ele e o fotógrafo italiano Luca Crudeli ficaram sabendo do projeto Australis ao lerem a reportagem especial desenvolvida pela Agência AL, onde era destacada a importância das leis aprovadas pelo Parlamento em prol da pesquisa e conservação das baleias-francas. “Lá que descobrimos que esse projeto necessitava de apoio e recursos para continuar com o seu trabalho, então decidimos reverter o valor da exposição para o Instituto Australis.”
Leia a reportagem especial da Agência AL que resultou nesta parceria em prol do projeto ProFranca aqui.

Compromisso pela conservação

A diretora de pesquisa no Instituto Australis, Karina Groch, reforça que o Instituto Australis tem, entre vários compromissos, a missão de atuar pela conservação e recuperação populacional das baleias-francas. Por ser uma entidade civil sem fins lucrativos mantida com patrocínios públicos e privados, a instituição depende também da vinda constante de turistas.

De acordo com o Instituto Australis, com base em anos anteriores, uma média entre 100 a 120 baleias vêm para Santa Catarina, e não são sempre as mesmas. Em torno de 40% são retornos, e as demais fazem o trajeto pela primeira vez. Segundo a bióloga, isso comprova que existe um aumento populacional das baleias-francas, que, durante cerca de quatro séculos, foram alvo de caça no litoral do Estado, levando quase à extinção da espécie.

Para ela, a exposição no MAB é possível mostrar ao público a riqueza e a diversidade do fundo do mar, as belezas deste ambiente que é tão rico e diverso, que é importante para todo o Planeta Terra. “Assim conseguimos sensibilizar as pessoas sobre a importância da preservação deste ambiente e consequentemente as baleias francas se beneficiam por ser o ambiente aonde elas vivem, por isso essa exposição é tão importante.”

O artista - Luca Crudeli é economista, fotógrafo e instrutor de mergulho. Nasceu em Bolonha (IT) e já morou em diversos países trabalhando para organizações internacionais. Atualmente mora em Brasília com a família. Publicou livros e expôs em vários continentes.

Serviço

Exposição Soul do Mar – Fotografias de Luca Crudeli;
Local - Museu de Arte de Brasília (MAB), setor de hotéis e turismo norte, entre a Concha Acústica e o Palácio da Alvorada;
Ingressos- Gratuitos;
Período - Até 26 de fevereiro de 2023, todos os dias, exceto às terças-feiras, entre 10h e 19h.

Ney Bueno
Agência AL

Voltar