Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
13/09/2019 - 12h26min

Secretária portuguesa defende fortalecimento do turismo regional em Lages

Imprimir Enviar
Lilia Ana Águas fala sobre experiência da Rota da Bairrada em Portugal. FOTO: Raffael do Prado/Divulgação

“A vida é boa, mas o vinho é melhor.” Com essa frase do poeta português Fernando Pessoa, a secretária de turismo regional Lilia Ana Águas, ex-deputada federal e integrante da diretoria da Associação da Rota da Bairrada, região produtora de vinhos de Portugal, defendeu uma ação integradora entre as iniciativas públicas e privadas em favor do turismo regional, em Lages. Ela participa do seminário As Perspectivas do Turismo 2019/2020 na Serra Catarinense, uma iniciativa da Comissão de Turismo e Meio Ambiente e da Escola do Legislativo Deputado Lício Mauro da Silveira.

Lilia apresentou o case “As vinhas do progresso: O caminho percorrido pela Rota da Bairrada na consolidação do turismo relacionado com a área vitivinícola”. Convidada pelo deputado Ivan Naatz (PV), presidente da Comissão de Turismo e Meio Ambiente, a dirigente portuguesa explicou que desde 2015 a associação da Rota da Bairrada reúne 52 associados que promove ativamente as riquezas turísticas, gastronômicas e vitinícolas da região, com destaque para as belezas do Luso e da Curia, os vinhos e o tradicional leitão assado à moda da Bairrada, propondo cinco roteiros turísticos numa região que abrange os conselhos de Águeda, Aveiro, Cantanhede, Coimbra, Mealhada, Oliveira do Bairro e Vagos.

Ela destacou que a Rota da Bairrada também está localizada numa região entre a serra e o mar, como a região serrana de Santa Catarina, e que possui atrações históricas e culturais contemplando uma grande diversidade de opções turísticas como vinhedos, serra, mar e núcleos rurais em oito municípios da região central de Portugal. “Nós temos tudo de bom que Deus fez e temos que saber aproveitar com profissionalismo e atrair os turistas para consumirem nossos produtos.”

Ela falou que a Bairrada, por sua localização geográfica, destaca-se pelo clima e solo propícios para o cultivo de uvas para vinhos de qualidade e que a produção de vinhos na Bairrada está documentada desde o período romano. “Foi com a produção de vinho tinto que a Bairrada passou a ser reconhecida como região vinícola por excelência. No entanto, os vinhos brancos assumiram ao longo do último século um importante papel, principalmente na produção de espumantes naturais, na qual a Bairrada foi pioneira em Portugal.”

“A atividade da Associação da Rota da Bairrada é bastante importante e congrega os oito municípios, 14 agentes da vitivinicultura, procurando valorizar e divulgar as atividades econômicas características da região. Desde a vitivinicultura dos vinhos tranquilos e espumantes até à gastronomia, nomeadamente o leitão, em projetos comuns de interesse intermunicipal, cujos benefícios de promoção, divulgação e notoriedade se refletem no universo dos agentes econômicos do território.” Para Lilia, é preciso uma divulgação conjunta de todos os entes envolvidos e definir posições estratégicas comuns a todos, desde produtores de vinho, agricultores, hoteleiros, empresários em geral, que beneficiem a região.

A Bairrada tem atualmente cerca de 2,4 mil produtores vinícolas, que exploram 6,5 mil hectares de vinha, de acordo com os registros da Comissão Vitivinícola da Bairrada (CVB). 

O seminário prossegue no período da tarde desta sexta-feira (13) com mais seis palestras e também será apresentada, em primeira mão, pela Câmara de Turismo da Fecomércio-SC, pesquisa que traça o perfil do visitante e o impacto do turismo de inverno na Serra.

Ney Bueno
Agência AL

Voltar