Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Whatsapp Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
00:30 Sessões - Seminários - Eventos
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
30/06/2020 - 17h46min

Tempestades no Oeste e apelo à Defesa Civil mobilizam pronunciamentos

Imprimir Enviar

FOTO: Fábio Queiroz/Agência AL

Tempestades ocorridas em diversos municípios do Oeste e solicitações de ajuda por parte da Defesa Civil do Estado mobilizaram os pronunciamentos dos parlamentares na sessão de terça-feira (30) da Assembleia Legislativa.

“Infelizmente são muitos os municípios atingidos, estima-se que mais de 700 mil unidades consumidoras da Celesc estão sem energia, a maior parte de Chapecó está sem luz. Mondaí foi duramente atingida, Descanso, Belmonte e Xanxerê também. Em Concórdia a rodoviária foi destelhada, um prejuízo enorme, com vários aviários e granjas de suínos totalmente destelhadas”, descreveu Altair Silva (PP).

“Quero registrar os prejuízos que o mau tempo causou em Concórdia, Joaçaba e região, foram muitos os prejuízos, espero que a Defesa Civil aja com urgência”, declarou Moacir Sopelsa (MDB).

“Palmitos e Mondaí foram atingidos e a gente não sabe exatamente qual foi a dimensão, mas fica o apelo à Defesa Civil para minimizar os danos”, pediu  Ismael dos Santos (PSD).

Defesa da Secretaria de Agricultura
José Milton Scheffer (PP) fez uma defesa apaixonada da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca e lembrou que o agronegócio é o carro-chefe das exportações catarinenses.

“O agronegócio respondeu por 70% das exportações de janeiro a abril, mesmo dentro da Covid-19, com quase 3 bilhões de dólares. Para manter essa excelência do setor tem de fazer uma referência ao trabalho da Secretaria de Agricultura, uma secretaria pequena, que gasta menos de 2% do orçamento estadual, mas que está à frente de grandes programas”, exaltou Scheffer.

O deputado destacou os investimentos na melhoria do processo produtivo, na agregação de valor, na melhoria genética do rebanho leiteiro, na irrigação e no armazenamento de água.

“Foram investimentos de R$ 10 mi em poços artesianos, cisternas e projetos de irrigação”, detalhou Scheffer.

Documento fraudulento
Kennedy Nunes (PSD) denunciou que o Tribunal de Constas do Estado (TCE/SC) constatou que o coronel da reserva Jamazi Ziegler, atual presidente do Porto de Imbituba, utilizou uma declaração fraudulenta para comprovar tempo de serviço, requisito para a função.

“Não é só a questão de que o presidente não preenche os requisitos, é pior, ele apresentou uma declaração assinada pela senhora Ana Lúcia Peixoto, gerente de Gestão de Pessoas da Secretaria de Segurança Pública, que é fraudulenta. O coronel não tem como comprovar esse tempo de nomeação para chegar ao requisito de presidente do Porto”, garantiu Kennedy, referindo-se ao período de janeiro de 2011 a março de 2018.

Afastamento do secretário de Saúde
Ivan Naatz cobrou veementemente o afastamento do secretário de Saúde, André Mota Ribeiro.

“Em 20 de maio a Alesc, atendendo solicitação da Comissão Especial que acompanha a Covid-19, apresentou requerimento de afastamento do secretário André Mota. A Assembleia analisou o documento e por 26 votos aprovou a proposição de afastamento do secretário. O documento já foi entregue ao governador e estamos aguardando a manifestação de Vossa Excelência”, cobrou Naatz.

Zolgensma no SUS
Fabiano da Luz (PT) voltou a pedir apoio dos colegas para convencer a Anvisa a autorizar o uso, bem como incluir o medicamento Zolgensma no rol do SUS.

“Se a Anvisa regulamentar o Zolgensma no Brasil e conseguirmos fazer com que o SUS inclua no rol de medicamentos, o Zolgensma, que custa R$ 10 mi, se torna mais barato que o Spinraz”, comparou Fabiano, uma vez que o último medicamento custa cerca de R$ 200 mil a dose, mas precisa ser ingerido a cada quatro meses pelo portador de AME pelo resto da vida.

Marco do saneamento
Valdir Cobalchini lamentou os números do saneamento no Brasil e ressaltou que o novo marco regulatório autoriza o investimento privado.

“Com o novo marco regulatório o poder público pode abrir concorrência para o setor privado prestar esse serviço. Parece surreal que após a queda do muro de Berlim o Brasil ainda trate com tamanho preconceito o investimento privado, não se trata de privatizar um bem público, mas de oferecer um serviço que o estado tem negado há décadas”, afirmou Cobalchini, que previu investimentos de até R$ 700 bi nos próximos anos em saneamento básico.

Apoio ao colega
Ismael dos Santos manifestou solidariedade ao colega de partido, Milton Hobus, alvo de operação policial deflagrada pelo TRE/SC na manhã dessa terça-feira.

“Milton Hobus foi alvo de uma busca incompreensível, talvez até uma retaliação pela sua atuação na Casa, quero registrar minha solidariedade. Meu papai citava um provérbio: ‘às vezes Deus acalma a tempestade, às vezes acalma o marinheiro, mas às vezes ensina a nadar’. Deputado Milton Hobus, não permita que as intempéries venham a destruir seus propósitos e sonhos”, augurou Ismael.

Ivan Naatz (PL), Marlene Fengler (PSD), Moacir Sopelsa, Valdir Cobalchini (MDB), Jerry Comper (MDB), Sargento Lima (PSL) e Julio Garcia (PSD) também se solidarizaram com Hobus.

“Um homem reto, de respeito, que orgulha a Assembleia. Tenha paciência, estamos passando Santa Catarina a limpo, as retaliações vêm, mas vêm muito fracas, porque homens como nós não deixamos histórias pelo caminho, que não a história do trabalho e da dignidade”, afirmou Naatz.

“Nosso apoio, solidariedade e confiança no deputado na certeza de que será tudo esclarecido, não será um momento como esse que vai mudar sua história de vida”, avaliou Marlene.

“Um empresário bem sucedido, uma pessoa reta e que tem o meu respeito”, ponderou Sopelsa.

“Gostaria que estivesse aqui presente para sentir a solidariedade dos colegas, mas que logo ele possa ocupar a tribuna e fazer a sua manifestação”, discursou Cobalchini.

“Gostaria de me juntar aos nobres deputados, até por conhecer o deputado Milton Hobus, praticamente meu vizinho, fica aqui nosso reconhecimento pelo trabalho que tem feito em Rio do Sul e em Santa Catarina”, registrou Comper.

“Fico muito feliz com a palavra de todos de apoio ao colega, o que mostra que a nossa tropa é unida”, avaliou Lima.

“Nos solidarizamos com o deputado Milton Hobus, tem sido um deputado exemplar e que tem sabido se conduzir, quando estive com ele disse que é preciso ter paciência e resiliência”, revelou Julio Garcia, presidente da Casa.

Coronavírus
Ada de Luca (MDB) renovou sua preocupação com o avanço do coronavírus em Santa Catarina e sugeriu aos gestores estaduais e municipais que baseiam suas ações na ciência.

“A situação está ficando cada vez pior, não se trata de pegar leve ou pesado com o governador, a única preocupação que temos é com a governança do estado na sua íntegra. Entendo que o melhor caminho é procurar o respaldo técnico, não adianta o achismo, precisamos ouvir os especialistas em saúde, procurar, questionar, para achar uma solução com exemplos de outros estados”, sugeriu.

Delegacia da mulher virtual
Ada de Luca anunciou que o Executivo aceitou sugestão de criar uma delegacia virtual para receber denúncias de violência contra a mulher.

“Não só a mulher está sendo agredida, crianças estão sendo agredidas, idosos estão apanhando, por isso reforçamos a importância de uma delegacia virtual para registro de todas as violências. Foram mais de 16 mil casos de violência até dia o 10 de maio, 21 feminicídios”, informou Ada, acrescentando que “o pleito da delegacia virtual está em andamento”.

Cortes de energia elétrica
Altair Silva reclamou das concessionárias de energia elétrica que entraram com mandado de segurança contra lei de sua autoria e que proíbe o corte de energia durante a pandemia.

“As concessionárias entraram com mandato de segurança e obtiveram sucesso através de liminar, mas o certo para discutir uma lei é uma ação direta de inconstitucionalidade”, argumentou Altair.

 

Vítor Santos
Agência AL

Voltar