Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
08:00 Destaques da Semana
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
10/07/2019 - 15h29min

Seminários e audiência pública vão discutir problemas ambientais

Imprimir Enviar

FOTO: Fábio Queiroz/Agência AL

A Comissão de Turismo e Meio Ambiente aprovou, por unanimidade, nesta quarta-feira (10), dois requerimentos para realização de dois seminários, em Criciúma e Urussanga, e uma audiência pública em Florianópolis, que irão discutir questões ambientais que preocupam os parlamentares catarinenses. Os seminários, que serão realizados em setembro, terão como foco debate sobre os efeitos poluidores das minas de carvão desativadas e a audiência pública, que será promovida em agosto, abordará a demora na liberação de licenças ambientais pelo Ima (Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina).

De acordo com o presidente da comissão, deputado Ivan Naatz (PV), proponente dos seminários em Criciúma e Urussanga, há uma preocupação na região Sul catarinense com os efeitos poluidores das minas de carvão desativadas, além das questões econômicas envolvidas com essa situação. ”Queremos ouvir autoridades e ambientalistas sobre esse problema. As minas foram desativadas mas seu efeito poluidor continua e há toda questão econômica envolvida, já que há poucos investimentos no meio ambiente com essa desativação.”

 A audiência pública sobre demora na liberação de licenças ambientais pelo IMA, uma solicitação do deputado Altair Silva (PP), inicialmente seria realizada em Chapecó, mas a pedido dos integrantes da comissão vai ocorrer na Alesc em agosto.

Dr. Vicente Caropreso (PSDB) alertou que a demora estaria ocorrendo devido a falta de técnicos no IMA e que o governo estadual estuda a possibilidade de transferir técnicos de outras pastas para atender a demanda no instituto. “A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) coíbe Santa Catarina de promover concursos e o IMA está sofrendo com a falta de pessoal, afetando todo o estado. Não é um problema somente do Oeste”, observou Caropreso.

Ney Bueno
Agência AL

Voltar