Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
12:30 Fala Deputado
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
11/07/2018 - 15h18min

Secretário de Agricultura de Frei Rogério alerta para a crise do alho

Imprimir Enviar

Na reunião da Comissão de Agricultura, ocorrida na tarde desta quarta-feira (11), o presidente, deputado Natalino Lázare (PODE), abriu os trabalhos concedendo espaço para Itamir Gasparini, secretário de Agricultura de Frei Rogério e coordenador da Câmara Setorial do Alho em Santa Catarina.

"O setor de alho está falido. O agricultor está produzindo a um custo de R$ 6, 60 o quilo e vendendo a R$ 3 o quilo. São 500 hectares dedicados à produção de alho em Frei Rogério e cada hectare plantado é responsável por quatro empregos diretos", desabafou Gasparini.

Ele informou que a luta pelo preço mínimo, rastreabilidade do alho importado e parcelamento das dívidas dos agricultores teve início em fevereiro deste ano com uma audiência pública em Brasília e o Tratoraço em Curitibanos. "Já conseguimos um alongamento parcial da dívida com o Banco o Brasil, mas precisamos negociar com o BRDE e o BNDES porque os agricultores não têm recursos e as prestações vencem em julho e agosto."

PGPAF e alho importado
Gasparini também pediu apoio dos parlamentares para que o estado de Santa Catarina seja contemplado no Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF), do governo federal. "Seria uma salvaguarda para o produtor de janeiro a maio, quando começa a comercialização da safra. Teríamos um caminho traçado para o próximo ano e a possibilidade de vender o produto com preço justo."
Fiscalização nas fronteiras é outra reivindicação para combater a entrada de alho da China e da Argentina. "Além do reforço na fiscalização, propomos a rastreabilidade do alho importado, que se saiba a origem, a rotulagem, que se exija padrões de qualidade, como acontece com o alho produzido no Brasil."

Encaminhamentos
Natalino Lázare afirmou que tentaria uma audiência com as lideranças de Frei Rogério ainda nesta quarta-feira com representantes do BRDE e BNDES, ficando acertado com os colegas Moacir Sopelsa (MDB), José Milton Scheffer (PP) e Padre Pedro Baldissera (PT) que a Comissão de Agricultura vai marcar uma ampla reunião com o Fórum Parlamentar Catarinense na Assembleia Legislativa para debater soluções para a crise do alho no estado.

Rubens Vargas
Agência AL

Voltar