Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
00:15 Sessão Ordinária
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
08/11/2018 - 10h20min

Deputado alerta para a conscientização sobre o câncer de próstata

Imprimir Enviar
Deputado Saretta afirmou estar preocupado com redução dos recursos destinados para a saúde
FOTO: Luca Gebara/Agência AL

Único deputado a utilizar a tribuna durante a sessão plenária da manhã desta quinta-feira (8), Neodi Saretta (PT), que preside a Comissão de Saúde, destacou a importância da campanha Novembro Azul para o esclarecimento da população masculina acerca de ações de prevenção ao câncer de próstata.

Citando dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o parlamentar afirmou que o câncer de próstata é atualmente o segundo tipo de neoplasia que mais atinge os homens brasileiros, atrás apenas do de pele, com uma média de um registro a cada 36 minutos.

Se descoberta a tempo, entretanto, a doença pode ser curada em 90% dos casos, razão pela qual ele instou o governo do Estado e os municípios a aproveitarem o período para a promoção de atividades que alertem esta camada da população sobre a necessidade da realização de exames e cuidados preventivos.  “É importante que os homens tenham consciência de se tratar e que possamos fazer campanhas por meio do poder público, a exemplo da que é feita com relação ao câncer de mama, o Outubro Rosa, que tem dado resultados extraordinários. Investir na prevenção custa menos que gastar com tratamentos”, disse.

Recursos para a saúde
Ainda em seu pronunciamento, Saretta afirmou estar preocupado com os comentários que apontam que o futuro governador do Estado, Carlos Moisés, poderá buscar reduzir os recursos destinados para a saúde.

Conforme o parlamentar, a ação poderia recair sobre a emenda constitucional aprovada pela Assembleia Legislativa em 2016, que promoveu a elevação, de 12% para 15%, no percentual da Receita Corrente Líquida de aplicação obrigatória no setor. ”Quero crer que tenham sido apenas murmúrios e que não uma posição oficial, pois será um retrocesso tremendo se isso acontecer.”

 

Alexandre Back
Agência AL

Voltar