Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
08:45 Fala Deputado
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
07/03/2018 - 16h40min

Parlamentares homenageiam as mulheres pela passagem do seu dia

Imprimir Enviar
Rodrigo Minotto (PDT) enalteceu a "crescente conscientização sobre gênero"
FOTO: Solon Soares/Agência AL

Vários parlamentares ocuparam a tribuna para homenagear as mulheres pela passagem do seu dia, 8 de março, durante a sessão desta quarta-feira (7) da Assembleia Legislativa.

“São muitas conquistas para celebrar, mas enormes desafios para superar, como a cultura perversa do machismo que assombra a vida de muitas mulheres”, discursou Dirceu Dresch, acrescentando que foram elas que mais perderam emprego, “principalmente as mulheres negras”.

“O Brasil tem um dos maiores índices de violência e Santa Catarina ocupou o quarto lugar no feminicídio em 2017, precisamos buscar instrumentos para corrigir as distorções e valorizar as mulheres”, afirmou Cesar Valduga (PCdoB), informando em seguida que protocolou 17 projetos de leis sobre o assunto.

Rodrigo Minotto (PDT) também parabenizou as mulheres, mas ao contrário de Dresch, garantiu que elas sofreram menos com o desemprego.

“Temos a comemorar o quê? A crescente conscientização sobre gênero, que está mudando paradigmas e ajudando a traçar políticas públicas”, argumentou Minotto, ponderando logo após que, segundo dados do Caged, “o desemprego afetou menos as mulheres”.

Neodi Saretta (PT) defendeu “avanços no tratamento igualitário” e Jean Kuhlmann (PSD) observou que o dia da mulher “com certeza não é só amanhã, mas todos os dias”.

Já Kennedy Nunes (PSD) informou que protocolou projeto de lei proibindo a contratação pelo serviço público de homem que foi condenado pela Lei Maria da Penha.

Segurança em Salete
Maurício Eskudlark (PR) contou na tribuna que acompanhou a prefeita de Salete, Solange “Chica” Schlichting, em audiência com o secretário de Segurança Pública.

“O município está solicitando mais efetivo e câmeras de vigilância, são apenas 7 mil habitantes, mas já enfrentam problemas com drogas e criminalidade. O efetivo depende de concurso, mas é possível atender a demanda, em muitos municípios dois policiais representam aumento de 50% no efetivo”, avaliou o ex-chefe da Polícia Civil.

Promoção dos policiais civis
Eskudlark voltou a martelar na suspensão das promoções dos policiais civis. “Tentamos definir as datas das promoções, a Polícia Civil é a única que não tem data definida, isso faz com que a promoção não ocorra, ao contrário da PM que tem datas previstas, do IGP e dos Bombeiros. Primeiro anunciaram para março e há poucos dias veio uma ducha de água fria, uma portaria assinada pelo grupo gestor, em razão da situação difícil, não teria qualquer tipo de promoção”, lamentou o parlamentar.

Relatórios de gestões
Os deputados Valmir Comin (PP) e Doutor Vicente Caropreso (PSDB), respectivamente ex-secretários de Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST) e da Saúde (SES), prestaram contas das gestões dessas secretarias.

“Depois de um ano, um mês e quatro dias frente à SST não tinha ainda usado a tribuna. Sempre exerci cargo no Legislativo, foi a primeira oportunidade de exercer a função de Executivo. Aceitando este desafio entendi o verdadeiro significado da assistência social na vida das pessoas, das que mais precisam, em grau de vulnerabilidade extrema”, confessou Comin.

O deputado destacou a revitalização do Fundo do Idoso, capacitações de servidores municipais, início de 80 obras no âmbito do Pacto Por Santa Catarina e a aquisição de 195 veículos para os municípios.

Caropreso criticou a execução de “obras grandiosas” e reclamou de gestores passados que não avaliaram convenientemente o custeio da SES.

“Quando inaugura um hospital a gente tem de ter responsabilidade, aumentos de custeio têm de vir de algum lugar, este é maior problema que a SES está padecendo, medidas tomadas sem previsão do custeio anterior. São obras grandiosas, estruturas que foram remodeladas e reconstruídas”, explicou Caropreso.

Além disso, o ex-secretário defendeu a autonomia financeira da SES. “Não pode ficar dependendo da Fazenda para utilizar o dinheiro da saúde.”

Alimentação saudável
Neodi Saretta (PT) noticiou que protocolou projeto de lei criando o programa de incentivo à implantação de hortas orgânicas comunitárias. "O objetivo é obter alimentos frescos e saudáveis e incentivar o cultivo orgânico em terrenos baldios e ociosos, proporcionando às famílias carentes uma forma de renda”, explicou Saretta.

Veto retirado de pauta
Dirceu Dresch informou aos servidores da Defensoria Pública, que lotaram a galeria superior do plenário Osni Régis, que o veto que trata do aumento salarial da categoria foi retirado de pauta.

“É importante vocês estarem aqui e conversarem com deputadas e deputados para nós derrubarmos isso. O governador Raimundo Colombo achou um jeito de vetar um projeto tão importante, mas contem com apoio da bancada do Partido dos Trabalhadores”, declarou Dresch, que propôs o dia 21 de março para apreciar o veto.

Os deputados Cesar Valduga, Rodrigo Minotto e Kennedy Nunes anunciaram apoio à derrubada do veto.

Vítor Santos
Agência AL

Voltar