Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
20:00 Fala Jovem
Ouvir
20:45 Programação Musical

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
11/08/2017 - 15h34min

ONG premiada por padrões de gestão quer estimular doação social em SC

Imprimir Enviar
Mariane Maier Nunes, gerente executiva do ICom
FOTO: Karina Ferreira/Agência AL

O Instituto Comunitário da Grande Florianópolis (ICom), premiado pelo Instituto Doar e Revista Época pela gestão e transparência, trabalha para estimular a doação social em Santa Catarina. “Existe muita desconfiança, a gente entende como um processo natural, mas quatro das cinco ONGs premiadas do estado estão no portal transparência, isso dá visibilidade e confiança para os investidores sociais”, afirmou Mariane Maier Nunes, gerente executiva do ICom, que conversou com a reportagem da Agência AL na tarde desta sexta-feira (11).

Além do ICom, foram premiados o Instituto Padre Vilson Groh (IGV), o Instituto Guga Kuerten (IGK), a Irmandade do Divino Espírito Santo (Ides) e a Associação Irmão Joaquim. “Para impulsionar o desenvolvimento local é preciso que mais pessoas e empresas doem e invistam nas causas sociais. O ICom também atua para gerar esse processo de confiança e o prêmio fortalece a cultura da doação e do investimento social”, enfatizou Mariana.

O que é o ICom
O ICom nasceu em 2006 para conhecer e articular a comunidade, fortalecer iniciativas sociais e estimular o investimento social. “O ICom foi criado pela necessidade de articular organizações da sociedade civil que  faziam trabalhos super legais, mas de forma isolada, faltava uma ponte para conectar e impulsionar as causas relevantes”, explicou Mariane.

Atualmente o ICom conta com uma equipe de sete pessoas e um conselho integrado por 30 cidadãos. “São profissionais do campo social que se uniram, profissionais liberais e empresários, principalmente do ramo da tecnologia”, informou Mariane.

Os recursos do ICom vêm de várias fontes. “Não podemos depender de uma única fonte de financiamento, hoje 30% dos recursos vêm de empresas, menos de 10% são resultado de parcerias com o poder público e o restante são doações de pessoas físicas e cooperações com instituições nacionais e internacionais”, descreveu a gerente do ICom.

Incubadora de ONGs
O ICom também funciona como uma incubadora de organizações não-governamentais. “Cedemos o espaço físico para outras organizações que estão começando, além de grupos e movimentos, somos um acelerador de ações coletivas”, revelou Mariane Maier.

Bruno Périco Behr, embaixador da ONG Youth Human Rights Brasil, utiliza regularmente o espaço físico do ICom e tem acesso à consultoria especializada. “O ICom nos ajudou com o know-how, procurou parceiros e oferece logística, fazemos nossas reuniões aqui e colegas de intercâmbio de outros países são recebidos no espaço do ICom. É muito importante este apoio, não nos vemos saindo daqui”, revelou Périco Behr.

 

Vítor Santos
Agência AL

Voltar