Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ouvir
00:05 Programação Musical

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
07/12/2017 - 11h04min

Obras, promoções na polícia, reajustes para a DPE: temas da sessão de quinta-feira (7)

Imprimir Enviar

FOTO: Eduardo G. de Oliveira/Agência AL

Cesar Valduga (PcdoB) foi à tribuna na sessão plenária realizada na manhã desta quinta-feira (6) para anunciar o início de duas obras por ele avaliadas como de grande importância para os moradores dos municípios de Chapecó e Capinzal.

Ainda durante a manhã de hoje, disse, foi assinada a ordem de serviço para a realização dos estudos de engenharia necessários para a contenção de águas pluviais no bairro São Pedro, em Chapecó. Segundo Valduga, a localidade é uma das que mais sofrem com os efeitos das cheias e a obra deve beneficiar, sobretudo, as famílias mais carentes, que residem nas áreas próximas às margens dos rios.

Durante a semana, disse, também foi assinado um convênio entre o governo do Estado e o hospital Nossa Senhora das Dores, de Capinzal, no valor de R$ 1,9 milhão, para a conclusão do centro cirúrgico da instituição. “Sabemos da importância deste hospital para o atendimento da população do Meio-Oeste catarinense. Foi, portanto, com muita alegria que recebemos a notícia desta transferência.”

Promoções na PC
Mauricio Eskudlark (PR) voltou a criticar o governo pela falta de promoções no âmbito da Polícia Civil. De acordo com o parlamentar, atualmente 1,3 mil profissionais aguardam o benefício, o que vem gerando descontentamento dentro da instituição. “Quem está na rua, enfrentando a bandidagem e trocando tiros, não está tendo o reconhecimento devido”, disse.

Para Eskudlark, o governo, por meio da Secretaria de Estado da Segurança Pública, vem agindo de forma discriminatória com a corporação. “Não é por falta de dinheiro que isto está acontecendo, pois semanalmente estão sendo enviados projetos a esta Casa que demandam recursos ao Estado, mas para atender outras categorias.”

Ainda em sua fala, ele afirmou que diversos policiais também cogitam não participar da próxima Operação Veraneio, em função do baixo valor das diárias pagas pelo governo, atualmente em R$ 110, segundo o deputado.

Reajuste para a DPE
Dirceu Dresch (PT) afirmou que defenderá junto ao colégio de líderes partidários da Assembleia a aprovação de projeto de lei que visa reajustar os vencimentos dos servidores da Defensoria Pública do Estado (DPE).

A matéria, ressaltou o deputado, atualmente encontra-se parada em seu processo de tramitação. "Os servidores da instituição estão há mais de três anos sem reajuste e estamos com este projeto aqui parado. Não é possível que entremos em mais um ano sem reajustes para a categoria."

Cooperativas de crédito
Dresch utilizou a tribuna para fazer uma defesa do sistema de cooperativas de crédito rural. Para o deputado, as instituições são hoje uma alternativa ao modelo bancário tradicional, constituindo-se em um dos principais instrumentos de apoio aos pequenos agricultores, por atuarem de forma coletiva e solidária. "É importante esse processo de organização e quero parabenizar o sistema Cresol pelas milhares de famílias que atendem em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná, bem como em outros estados do país, por onde levam a experiência da agricultura familiar. "

Antirreforma
Ainda em sua manifestação, Dirceu Dresch qualificou como "antirreforma", a proposta do governo federal em alterar o sistema previdenciário brasileiro.

Conforme Dresch, ao mesmo tempo em que alega déficit no caixa do sistema, demandando assim a ampliação da idade mínima para a obtenção da aposentadoria pelo cidadão comum, o governo fecha seus olhos às dívidas previdenciárias acumuladas por grandes grupos empresarias. “O governo está gastando R$ 72 milhões para convencer a população de que esta antirreforma é necessária.

Felizmente, a mobilização da sociedade nas ruas, nas redes sociais e junto aos parlamentares tem sido grande e os golpistas não estão conseguindo os votos suficientes para votar este projeto”, declarou.

Alexandre Back
Agência AL

Voltar