Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ouvir
12:40 Programação Musical

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
11/10/2017 - 17h20min

Município pode recorrer à Justiça contra fechamento da unidade JBS em Morro Grande

Imprimir Enviar

O município de Morro Grande poderá recorrer à Justiça contra o fechamento da unidade da JBS local. O aviso foi dado pelo deputado Manoel Mota (PMDB) na sessão desta quarta-feira (11) da Assembleia Legislativa. “Não querem vender, mas fechar, transformar em monopólio, menos frango, mais valor! Não tão dando bola porque 40% é dinheiro público, quem construiu a unidade foi a prefeitura, o estado construiu o acesso, mas não dá para admitir que não queiram vender e uma ação judicial é o caminho para que não fechem”, revelou Mota.

Segundo o deputado, a situação é desesperadora. “São quase 800 empregos diretos, 1,3 mil indiretos e140 agregados. A JBS pediu para que investissem e os agregados foram aos bancos”, explicou Mota, que previu leilões de propriedades para pagar os empréstimos e efeito dominó nas unidades da JBS de Nova Veneza e Forquilhinha.

Mário Marcondes (PSDB) demonstrou pessimismo. “Já denunciei as isenções dadas pelo estado, não se tem controle social dos efeitos, para a Mabel (em Araquari) foi dado um terreno, um galpão e 10 anos de isenção. Acabou a isenção, venderam o terreno e o galpão e foram embora. Sem querer ser pessimista, os contratos de financiamento são feitos de forma solta, deve ter pouca amarração jurídica”, avaliou Marcondes.

Kennedy Nunes (PSD) lembrou do caso da Buscar, de Joinville “Fizeram de tudo para quebrar a empresa e agora, depois de algum tempo, estão tentando retomar. Vale a luta”, incentivou Kennedy, que sugeriu convidar o Ministério Público Federal e o Ministério Público Estadual para participarem da discussão. “Por se tratar de dinheiro público eles têm de ser convocados para esta luta”.

Repúdio à Veja
Kennedy Nunes pediu apoio dos parlamentares para aprovar uma moção de repúdio à revista Veja, pela publicação de artigo do articulista JR Guzzo,sobre a fé evangélica. “Foi um ataque à democracia, um artigo cheio de preconceitos, raiva e ódio, chama os evangélicos de ‘gente tipo moreno’, ‘um horror crescente que faz mal à gente do bem do Brasil’, ‘retrógrados, repressores, fascistas, inimigos da democracia’. Não é preconceito isso aqui?”, questionou Kennedy.

Dia do professor
Rodrigo Minotto (PDT) registrou a passagem do dia do professor, celebrado em 15 de outubro e anunciou que iniciará uma série de visitas às escolas. “Vamos para a escola ouvir professoras e professores, buscando informação direta, para sermos a voz dos professores junto ao governo do estado”, anunciou Minotto.

O deputado fez um apelo ao Executivo barriga-verde. “Que os professores sejam mais valorizados, que os problemas das escolas não sejam mais esquecidos: uma sala de aula em que não chova, uma quadra que não ofereça perigo, um muro que não ameace cair ou um telhado que não ameace desabar”, declarou o parlamentar.

Recuo da SED
César Valduga (PCdoB) elogiou o recuo da Secretaria de Estado da Educação ao revogar ofício que modificava a distribuição de aulas nas escolas para os professores efetivos. “Esta Casa está de parabéns quando avança no diálogo”, opinou Valduga.

Ismael dos Santos (PSD) concordou com o colega. “Foi o bom senso que fundamentou este recuo positivo da SED, seria uma medida inadequada e inoportuna, fica a reflexão de que ensinar é aprender duas vezes”, argumentou Ismael.

Restrição à enfermagem
Valduga lamentou decisão da Justiça Federal de suspender portaria do Ministério da Saúde que definia a política nacional de atenção básica (Programa de Saúde da Família e agentes de saúde). “Está proibido que enfermeiras e enfermeiros coletem material para exames preventivos, que solicitem exames de neonatal, até a coleta de dados de testes de HIV e sífilis”, criticou Valduga.

Segundo o deputado, em 2016 os profissionais de enfermagem que atuam nos postos de saúde de Chapecó recolheram mais de 12 mil amostras. “Todo esse fluxo passa a ficar comprometido com a derrubada da portaria”, garantiu Valduga.

Grupamento de Resgate Aéreo
Dalmo Claro de Oliveira (PSD) comemorou na tribuna os números de atendimentos realizados pelo Grupamento de Resgate Aéreo de Blumenau. “Em dois anos foram 740 atendimentos”, revelou Dalmo Claro, acrescentando que somados aos atendimentos prestados  pelo grupamento de Florianópolis totalizam mais de seis mil. “O custo do resgate é plenamente recuperado pelo número de vidas salvas”, justificou o representante de Joinville.

CEF x segurança de lotéricas
Darci de Matos (PSD) defendeu que a segurança armada das lotéricas seja bancada pela Caixa Econômica Federal (CEF). “O projeto de lei do deputado Valduga prevê um mecanismo para dar segurança armada às lotéricas do estado, então convencemos o deputado e ele emendou (o projeto) para que essa segurança não seja bancada pelos lotéricos, mas paga pelo sistema financeiro do Brasil, especialmente pela Caixa”, informou o líder do governo.

João Amin (PP) hipotecou apoio à medida. “A CEF tem de dar a contrapartida para o cidadão que utiliza o serviço lotérico”. Maurício Eskudlark (PR) apoiou a iniciativa. “Entendo que a segurança armada não pode penalizar os lotéricos”.

Contorno da Grande Florianópolis para 2020
João Amin comunicou os catarinenses que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Autopista Litoral Sul, concessionária da BR-101, prorrogaram o prazo para conclusão das obras do contorno da Grande Florianópolis para 2020. “Agora é oficial, a conclusão está prevista para 30 de dezembro de 2020, era para ser entregue em 2012, mas fizemos vistorias in loco e ficou óbvio que não iam terminar em 2017”, admitiu o deputado.

Convite
Ana Paula Lima (PT) convidou os catarinenses para o lançamento da Plataforma Digital Brasil, do Partido dos Trabalhadores. “Será segunda-feira (16) às 9 horas, no plenarinho Paulo Stuart Wright. É uma iniciativa pioneira, para elaborar uma estratégia para o futuro do país ouvindo o cidadão”, indicou a parlamentar.

Patinho amarelo
Ana Paula exibiu na tribuna um desenho de um pato amarelo semelhante ao colocado na avenida Paulista, em São Paulo, pela FIESP. “O povo está se sentindo enganado pelo processo que aconteceu a quase dois anos, atualmente o governo prepara um novo aumento de impostos, torrou bilhões para comprar parlamentares e planeja aumentar PIS e Cofins”, afirmou a deputada, destacando que o gás de cozinha asubiu 12,9%.  “Aumentou pela quarta vez em menos de dois meses”.

Queda da produção industrial
Cesar Valduga citou dados do IBGE inidicando queda na produção industrial em agosto. “A produção recuou 0,8% no oitavo mês, a queda mais intensa se deu em São Paulo, que entre julho e agosto recuou 1,4%, o mesmo percentual do Rio Grande do Sul, em Santa Catarina a produção permaneceu estável, não cresceu, nem recuou”, informou Valduga.

O deputado defendeu o papel do estado na retomada do crescimento. “Não há como esperar a volta do crescimento se o governo privilegia o rentismo e a especulação, quando o estado deve ser o principal agente do desenvolvimento”, criticou.

50 anos da Cooperalfa
Dirceu Dresch (PT) ressaltou a passagem de 50 anos de fundação da Cooperativa Regional Alfa, Cooperalfa, que atua em todo Oeste. “Os pioneiros compreenderam que a organização era fundamental, o sindicalismo, o associativismo e o cooperativismo, este processo de organização trouxe uma diferenciação para a região, uma dinâmica econômica e social”, exaltou Dresch.

Queda no preço do leite
Dresch também tratou da redução do preço do leite pago ao produtor. “Eles apostaram em uma atividade para manter a família, estamos acompanhando de perto a situação e vamos a Brasília para uma reunião no Ministério da Agricultura para rever as importações, mas os dados mostram que o centro da crise é a redução do consumo de produtos lácteos, gerada pela crise política que a partir de 2014 criou uma crise econômica”, advogou Dresch.

Carlos Roberto Bastos Miguel
Maurício Eskudlark repercutiu cerimônia realizada em Rio do Sul para denominar “Carlos Roberto Bastos Miguel” o complexo da Polícia Civil local. “Era um policial vibrante, com 10 anos de carreira, natural de Itajaí, trabalhou muitos anos em Rio do Sul, era professor da academia, uma pessoa que em pouco tempo se destacou, tinha disposição, boa vontade, competência, alegria, amizade com os demais, infelizmente foi vítima de um acidente de trânsito”, relatou Eskudlark.

Alertas por SMS
Milton Hobus (PSD) incentivou os catarinenses a se cadastrarem para receber, via SMS, alertas sobre o tempo. “A Defesa Civil disponibilizará um cadastro para receber alertas por SMS, em 20 cidades as pessoas já estão recebendo alertas, por isso façam seus cadastros para receberem informações em tempo real”, convidou Hobus.

Ordens de serviços no Alto Vale
Milton Hobus anunciou que o governo entregou ordens de serviços para elaboração de projetos executivos para a pavimentação de estradas no Alto Vale do Itajaí. “A pavimentação do acesso a Presidente Nereu e Vidal Ramos, são 18 km; o projeto do contorno viário Leste de Ituporanga, com cerca de 9 km; e o contorno Oeste de Rio do Sul”, elencou Hobus, ponderando em seguida que “sem projeto, nada acontece”.

 

Vítor Santos
Agência AL

Voltar