Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
22:00 Fala Deputado
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
28/11/2017 - 08h31min

Município de Taió recebe II Seminário Regional sobre Autismo

Imprimir Enviar

O município de Taió recebeu na sexta-feira, dia 24, o II Seminário Regional Sobre Autismo, ,com o tema: Quando você conhece, as peças se encaixam, o evento realizado no Clube de Caça e Tiro XV de Novembro é promovido pela Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (ALESC), através da Escola do Legislativo e Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência em parceria com a Prefeitura de Taió e seus seguintes setores: Secretaria de Saúde (NASF) e Vigilância Epidemiológica), Secretaria de Educação, Secretaria de Assistência Social (CRAS); e APAE de Taió.

Vários palestrantes foram convidados para abordar o tema, muitos deles já conhecidos na região. O youtuber Marcos Petry foi o responsável pela abertura. Conhecido nacionalmente, Petry tem o Transtorno do Espectro Autista, e fala inglês, alemão e espanhol, além de ser escritor. Outros palestrantes foram os já conhecidos Cátia Purnhagen Franzoi (Presidente da Associação Catarinense de Autismo - Asca), Ana Paula Muller (Diretora da Associação de Amigos do Autista - AMA), o psicopedagogo Rodrigo França e a escritora Anita Brito e seu filho Nicolas.

O Clube de Caça e Tiro XV de Novembro contou com a presença de grande público, formado por pais, familiares de autistas, professores da rede de ensino regular, professores de educação especial, segundos professores, profissionais da área da saúde, profissionais da área da assistência social, acadêmicos dos cursos de pedagogia, psicologia, serviço social, e muitos outros que vieram buscar mais informações sobre o diagnóstico, patologias e políticas púbicas de inclusão escolar de estudantes com Transtorno do Espectro Autista.

O autismo
O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição geral para um grupo de desordens complexas do desenvolvimento do cérebro, antes, durante ou logo após o nascimento. Esses distúrbios se caracterizam pela dificuldade na comunicação social e comportamentos repetitivos. Embora todas as pessoas com TEA partilhem essas dificuldades, o seu estado irá afetá-las com intensidades diferentes. Assim, essas diferenças podem existir desde o nascimento e serem óbvias para todos; ou podem ser mais sutis e tornarem-se mais visíveis ao longo do desenvolvimento.

O TEA pode ser associado com deficiência intelectual, dificuldades de coordenação motora e de atenção e, às vezes, as pessoas com autismo têm problemas de saúde física, tais como sono e distúrbios gastrointestinais e podem apresentar outras condições como síndrome de déficit de atenção e hiperatividade, dislexia ou dispraxia. Na adolescência podem desenvolver ansiedade e depressão.

Algumas pessoas com TEA podem ter dificuldades de aprendizagem em diversos estágios da vida, desde estudar na escola, até aprender atividades da vida diária, como, por exemplo, tomar banho ou preparar a própria refeição. Algumas poderão levar uma vida relativamente “normal”, enquanto outras poderão precisar de apoio especializado ao longo de toda a vida.

O autismo é uma condição permanente, a criança nasce com autismo e torna-se um adulto com autismo.  Assim como qualquer ser humano, cada pessoa com autismo é única e todas podem aprender.

As pessoas com autismo podem ter alguma forma de sensibilidade sensorial. Isto pode ocorrer em um ou em mais dos cinco sentidos – visão, audição, olfato, tato e paladar – que podem ser mais ou menos intensificados. Por exemplo, uma pessoa com autismo pode achar determinados sons de fundo, que outras pessoas ignorariam, insuportavelmente barulhentos. Isto pode causar ansiedade ou mesmo dor física.

Alguns indivíduos que são sub sensíveis podem não sentir dor ou temperaturas extremas. Algumas podem balançar rodar ou agitar as mãos para criar sensação, ou para ajudar com o balanço e postura ou para lidar com o stress ou ainda, para demonstrar alegria.

As pessoas com sensibilidade sensorial podem ter mais dificuldade no conhecimento adequado de seu próprio corpo. Consciência corporal é a forma como o corpo se comunica consigo mesmo ou com o meio. Um bom desenvolvimento do esquema corporal pressupõe uma boa evolução da motricidade, das percepções espaciais e temporais, e da afetividade.

- Apessoas com Transtornos do Espectro Autista podem se destacar em habilidades visuais, música, arte e matemática.

- A maioria das pessoas com autismo é boa em aprender visualmente;

- Algumas pessoas com autismo são muito atentas aos detalhes e à exatidão;

- Geralmente possuem capacidade de memória muito acima da média;

- É provável que as informações, rotinas ou processos uma vez aprendidos, sejam retidos;

- Algumas pessoas conseguem concentrar-se na sua área de interesse especifico durante muito tempo e podem optar por estudar ou trabalhar em áreas afins;

- A paixão pela rotina pode ser fator favorável na execução de um trabalho;

Por: Emerson Lima  - Assessor de imprensa de Prefeitura Municipal de Taió

Voltar