Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 

Sala de Imprensa

+ Mais notícias
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
14/06/2018 - 11h55min

Jornada promove troca de saberes sobre plantas medicinais

Imprimir Enviar
Políticas públicas vinculadas à fitoterapia; identificação, produção e comercialização de plantas medicinais estarão nos debates do dia
FOTO: Eduardo G. de Oliveira/Agência AL

Conhecimentos científicos, saberes tradicionais e políticas públicas são tema da 8ª Jornada Catarinense de Plantas Medicinais e Fitoterapia, promovida nesta quinta e sexta-feira (14 e 15), no Auditório Antonieta de Barros da Assembleia Legislativa. Além da troca de experiências e saberes, voltados ao cultivo e ao uso das plantas para promoção da saúde, a jornada propicia debates sobre legislação e políticas públicas.

A jornada é realizada pela Associação Catarinense de Plantas Medicinais (ACPM), em parceria com Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa e a Escola do Legislativo Deputado Lício Mauro da Silveira, Frente Parlamentar Catarinense de Práticas Integrativas e Pastoral Saúde de Santa Catarina.

A presidente da ACPM, Kátia Mara Batista, explicou que a associação surgiu a partir da realização da primeira jornada, em 1998, e que desde então tem defendido que “todo conhecimento tenha reconhecimento”. A organização tem como princípio defender o aproveitamento da biodiversidade brasileira, os saberes dos povos e o conhecimento científico para a promoção da saúde.

Na abertura do evento, o deputado Padre Pedro Baldissera (PT), proponente da iniciativa, analisou que os recursos do Tesouro do Estado não são suficientes para enfrentar a doença, por isso, é necessário privilegiar iniciativas de promoção da saúde e da vida.

Na opinião dele, a jornada deve servir como “motivação para o empoderamento de lideranças lá na base, nos municípios, pois é necessária uma revolução para não apenas enfrentar a doença, mas acima de tudo defender a vida das pessoas”. Padre Pedro preside a Frente Parlamentar Catarinense de Práticas Integrativas.

Programação
Entre os principais temas que serão debatidos ao longo do dia estão a legislação catarinense de plantas medicinais e fitoterapia; as políticas públicas vinculadas à fitoterapia; identificação, produção e comercialização de plantas medicinais; a utilização popular e por povos tradicionais e os relatos de experiências no setor em diversos municípios do Estado. Cerca de 500 pessoas de várias regiões do estado participam do evento.

Lisandrea Costa
Agência AL

Voltar