Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
08:15 Memória da Imprensa
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
25/03/2009 - 18h43min

Hinnig comemora os 18 anos do Mercosul

Imprimir Enviar
Deputado Renato Hinnig (PMDB)
O Mercosul, como é conhecido o Mercado Comum do Sul, completa, amanhã (26), 18 anos de existência, lembrou o deputado Renato Hinnig (PMDB). O Mercosul é a união aduaneira de livre comércio e política comercial comum de quatro países da América do Sul. Em sua formação original o bloco era composto por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Desde 2006, a Venezuela depende de aprovação dos congressos nacionais para que sua entrada seja aprovada. Segundo o parlamentar, o bloco que está completando a maioridade ainda tem muito que crescer. “No seu início pensamos em estreitar as relações culturais e comerciais, mas, na prática, não aconteceu da forma rápida que todos queríamos. Ainda temos muito que fazer”, disse Hinnig. O parlamentar ainda afirmou que agora que está à frente da Comissão do Mercosul pretende trabalhar por maior integração dos mercados. “Temos muito que realizar e agora, à frente da comissão, vou ter a chance de estreitar os mercados.” De acordo com o site oficial do Mercosul no Brasil (www.mercosul.gov.br), o Tratado de Integração, Cooperação e Desenvolvimento, assinado entre Brasil e Argentina em 1988, fixou como meta o estabelecimento de um mercado comum, onde outros países latino-americanos poderiam se unir. Com a adesão do Paraguai e do Uruguai, os quatro países se tornaram signatários do Tratado de Assunção em 1991. O documento, que estabelecia o Mercado Comum do Sul, significa uma aliança comercial visando dinamizar a economia regional, movimentando entre si mercadorias, pessoas, força de trabalho e capitais. Inicialmente foi estabelecida uma zona de livre comércio, em que os países signatários não tributariam ou restringiriam as importações um do outro. Em 1996, Bolívia e Chile adquiriram o status de associados. O Chile encontra-se em processo de aquisição do status de associado pleno depois de resolver alguns problemas territoriais com a Argentina. Outras nações latino-americanas manifestaram interesse em entrar para o grupo, mas, até o momento, somente a Venezuela levou adiante sua candidatura, embora sua incorporação ao Mercosul ainda dependa da aprovação dos congressos nacionais do bloco. (Graziela May Pereira/Divulgação Alesc)
Voltar