Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
18:30 Jornal da Assembleia
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
24/11/2017 - 16h12min

Hemosc precisa de mais doadores de sangue para aumentar estoques

Imprimir Enviar
Luís Cláudio Rodrigues é um exemplo; nesta semana, completou 200 doações, um dos maiores recordistas do país
FOTO: Solon Soares/Agência AL

Na Semana Nacional do Doador de Sangue, o Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina (Hemosc) precisa de mais voluntários para aumentar seu estoque de sangue. No hemocentro de Florianópolis, uma média de 70 pessoas por dia faz a doação. O ideal é que esse número fosse de 100 pessoas.

“Nossos estoques estão precisando de reforços”, afirma a gerente técnica do Hemosc, Patrícia Carsten. “Necessitamos dos tipos A e O negativos, mas todos são importantes e bem-vindos. Doar sangue é um ato nobre, solidário e generoso. Salva muitas vidas.”

Neste sábado (25), comemora-se o Dia Nacional do Doador de Sangue. Para marcar a data, o Hemosc realizou na Capital e em outras nove cidades do estado (Lages, Joaçaba, Chapecó, Criciúma, Blumenau, Joinville, Tubarão, Jaraguá do Sul e Canoinhas) uma programação especial, como o tema “Eu salvo vidas. Doe sangue você também”.

Uma das novidades das comemorações deste ano foi a doação de número 200 do militar da Aeronáutica Luís Cláudio Soares Rodrigues, 48 anos, que, ao atingir a marca, tornou-se um dos maiores doadores do país.

Rodrigues fez a primeira doação em 1993, de forma voluntária, ainda quando trabalhava em Manaus (AM). Em 1996, mudou-se para Florianópolis. No ano seguinte, em 1997, passou a doar plaquetas, depois que um familiar precisou receber esse produto. Uma vez por mês, ele comparece ao Hemosc na Capital para o procedimento.

“O ato de doar voluntariamente sempre me comoveu e me comove até hoje”, explica o militar. “Poder ajudar quem está nos leitos de hospitais, crianças que estão precisando de doação é o que motiva a vir aqui todos os meses. Para quem tem dúvidas se deve doar ou não eu sempre digo: um dia pode ser um filho seu, um neto que precise. Pense no bem-estar deles e faça a doação”, comenta.

SERVIÇO
Para poder doar sangue, o interessado precisa ter mais de 50 quilos, ter entre 16 e 69 anos e estar bem de saúde. O site do Hemosc traz todas as informações sobre o procedimento. Na página também é possível agendar a doação de sangue.

Marcelo Espinoza
Agência AL

Voltar