Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
00:15 Sessão Ordinária
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
13/06/2018 - 18h11min

Frente parlamentar é criada para enfrentar desafios da cadeia do leite

Imprimir Enviar
Deputados participam da instalação da Frente Parlamentar de Produção e Industrialização do Leite na Alesc
FOTO: Fábio Queiroz/Agência AL

Com o objetivo principal de preparar a bacia leiteira catarinense para a abertura de novos mercados, a Assembleia Legislativa de Santa Catarina formalizou na tarde desta quarta-feira (13) a instalação da Frente Parlamentar de Produção e Industrialização do Leite. O evento, realizado na Sala de Imprensa da Alesc, contou com a presença de deputados estaduais, prefeitos, vereadores, representantes de produtores de leite e do secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Airton Spies.

A criação da frente foi um dos encaminhamentos da audiência pública realizada no mês de abril pela Comissão de Agricultura e Política Rural da Assembleia, em Pinhalzinho, no Oeste, para discutir os desafios da cadeia produtiva do leite. O requerimento de instalação da frente foi assinado pelos 40 deputados que integram a Alesc.

Durante o evento, o deputado Moacir Sopelsa (MDB) foi eleito presidente da frente, que terá Valmir Comin (PP) como vice-presidente e Maurício Eskudlark (PR) como secretário. Conforme Sopelsa, uma das primeiras ações da frente será a constituição de um grupo de trabalho composto por representantes dos produtores, da indústria, das cooperativas, das entidades ligadas ao setor, como o Sindleite e o Conseleite.

“Quem tem que pensar as ações para o setor são as pessoas que estão de fato envolvidas com a cadeia do leite”, disse Sopelsa. “A frente vem para ajudar a organizar um setor que é cada vez mais importante para a economia de Santa Catarina.”

Para o deputado, a melhoria da qualidade do leite e da sanidade do rebanho, o desenvolvimento de embalagens mais baratas e práticas, além do aprimoramento do transporte do leite do campo para a indústria são alguns dos pontos a serem enfrentados. “Para ter uma indústria forte, precisamos de produtores fortes, e o inverso também é verdadeiro”, resumiu.

O secretário da Agricultura afirmou que a frente será importante para enfrentar os desafios que o setor terá pela frente. Segundo Spies, a atividade é uma das que mais cresce no Estado e que tem mais ganhos marginais a incorporar. Mas para continuar crescendo, precisa se preparar para atuar em novos mercados, principalmente no exterior.

“Já somos autossuficientes em leite e precisamos nos preparar para exportar. Para isso, temos que investir em qualidade, em melhorar a logística para levar esse leite para o mundo. São problemas que têm solução”, disse o secretário.

Santa Catarina produziu, em 2017, 3,4 bilhões de litros de leite, a quarta maior produção do país. A região Oeste, o Alto Vale do Itajaí, com destaque para Presidente Getúlio, e o Sul, com Braço do Norte, são as principais regiões leiteiras.

Os deputados Neodi Saretta (PT), Natalino Lázare (PODE), João Amin (PP), Valdir Cobalchini (MDB), Cesar Valduga (PCdoB) e Luciane Carminatti (PT) também participaram da instalação da frente.

Marcelo Espinoza
Agência AL

Voltar