Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
14:00 Sessão Ordinária
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
09/11/2018 - 14h30min

Escola do Legislativo ganha prêmio nacional com projeto Hackathon Cívico

Imprimir Enviar
Prêmio foi entregue à representante da Escola do Legislativo catarinense (1ª E), Léa Medeiros. Crédito: Pedro de Oliveira/ Ass. Leg. Paraná

A Escola do Legislativo da Assembleia de Santa Catarina foi reconhecida nacionalmente pelo seu trabalho na construção da cidadania com a conquista do Prêmio Comunidade 2018 concedido pela Associação Brasileira das Escolas do Legislativo e de Contas (Abel), com o projeto Hackathon Cívico.

A premiação foi anunciada nesta sexta-feira (9), no encerramento do  XXXII Encontro da Abel. A entidade premia as  iniciativas bem-sucedidas e projetos das escolas corporativas em três modalidades: Portal, Comunidade e Educação Legislativa. As outras escolas legislativas que receberam destaque foram as da Assembleia do Rio Grande do Norte e das Câmaras Municipais de Itapevi (SP), Marabá (PA) e Varginha (MG).

O projeto catarinense disputou a premiação com outras 15 iniciativas apresentadas pelas escolas legislativas e de tribunais de contas que participaram do evento, que reuniu 150 representantes de instituições legislativas durante dois dias na capital paranaense.

Ao receber a premiação a gestora do Núcleo de Educação para a Cidadania, Léa Medeiros, ressaltou a atuação consistente do legislativo catarinense na aproximação com o público jovem. "Foi o reconhecimento de um projeto desenvolvido com o público universitário para o qual tínhamos um trabalho bastante tímido. A proposta que desenvolvemos com esses jovens é inovadora e por meio da linguagem tecnológica atual conseguimos sensibilizar os universitários a fazer essa imersão e identificar soluções práticas para problemas reais do nosso estado".

Já o presidente da Abel, Florian Augusto Coutinho Madruga, destacou a relevância de iniciativas que aproximam os legislativos da sociedade. "O Prêmio Abel é uma forma de estimular as escolas do legislativo e de contas a apresentarem bons projetos para facilitar o acesso do cidadão às iniciativas das casas legislativas, projetos voltados para o conhecimento do Poder Legislativo e para que, principalmente a comunidade jovem esteja envolvida com o Legislativo. Queremos que cada vez mais as escolas legislativas se dediquem a missão de ser a porta de entrada no cidadão no Legislativo".

Hackathon Cívico

O primeiro Hackathon Cívico reuniu no Palácio Barriga Verde, no final de junho, quase 30 universitários catarinenses durante três dias de imersão para debater e apresentar propostas viáveis e inovadoras para problemas reais e relevantes nas áreas de saúde, educação e segurança, usando recursos de tecnologia, design e jogos. Os estudantes receberam orientações de especialistas para elaborarem propostas de políticas públicas  com relevância e alcance, viabilidade financeira, política e legalidade, qualidade técnica, criatividade e inovação.  A maratona de debates e ideias resultou na escolha de três iniciativas que foram apresentadas aos deputados pelos estudantes vencedores na sessão ordinária de 15 de agosto.

A primeira ideia vencedora foi apresentada por Paloma de Freitas Cruz, estudante de administração pública da Udesc de Balneário Camboriú. A sugestão elaborada pela estudante e pelos colegas Valmir Jordani e Joanna Pietro Farias sugeria a criação do aplicativo "Saúde Mais”, com o objetivo de melhorar o atendimento da rede pública de saúde. No aplicativo seria feito o agendamento de consultas e exames pelo SUS, com o objetivo de conter o grande índice de absenteísmo em Santa Catarina, diminuir as filas, facilitar a vida do cidadão.

A proposta que ficou com o segundo lugar foi idealizada pelos estudantes Matheus Peixoto Philippe, estudante de Direito, Maria Cristina Batistella Ignácio, aluna de Ciências Políticas da UFSC, e Ana Carolina Parreira, de Relações Internacionais. Os três universitários também apresentaram uma sugestão de criação de aplicativo para celular, nomeado "SOS SC", com foco na segurança pública do estado. A plataforma serviria como um elo entre as autoridades e os cidadãos, onde qualquer pessoa poderia informar sobre alguma ocorrência.

O terceiro lugar do Hackathon ficou com Iara Maria Machado Lopes, Milena Barbi e Cryslan de Moraes, que apresentaram o projeto "Democracia na Estrada". A proposta sugeria o desenvolvimento de um modelo itinerante de educação política nas escolas públicas e privadas. Seriam cinco dias de atividades, abordando direitos fundamentais, prerrogativas dos três poderes, noções básicas de processo eleitoral e outras formas de exercício da cidadania.

O projeto Hackathon Cívico faz parte do Programa Conhecendo o Parlamento Catarinense, instituído pela Resolução 8/2006, que tem como objetivo tornar acessível à população as atribuições e atividades desenvolvidas pela Alesc, além de contribuir para a formação política e o exercício da cidadania. A iniciativa foi organizada pela  Escola do Legislativo Deputado Lício Mauro da Silveira em parceria com a Politize! - uma associação sem fins lucrativos - que venceu a licitação pública para executar o evento. A segunda edição do Hackathon Cívico deverá ser realizada em 2019, mas ainda sem data definida.

Com informações de Rossani Thomas/Escola do Legislativo

Voltar