Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 

Sala de Imprensa

+ Mais notícias
Assistir
14:00
Ao vivo

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
14/02/2018 - 16h08min

Deputados destacam inauguração e má conservação de rodovias

Imprimir Enviar
Deputado Maurício Eskudlark

A inauguração de trecho da SC-477, que liga o Planalto Norte ao Alto Vale do Itajaí, e a situação caótica da BR-163, no Extremo-Oeste, ganharam destaque na sessão desta quarta-feira (14) da Assembleia Legislativa.

“O governador inaugurou o trecho de asfalto da Moema à Volta Grande, mais uma etapa da SC-477 que liga o Alto Vale com o Planalto Norte, ainda faltam 18 quilômetros de Itaiópolis até doutor Pedrinho, mas será outro caminho para Florianópolis”, discursou Antonio Aguiar.

Já o deputado Maurício Eskudlark (PR) criticou as condições da BR-163, que liga São Miguel do Oeste a Dionísio Cerqueira, e da SC-161, que liga a BR-280, no Paraná, a Palma Sola.

“Fui para o Oeste e lá está constrangedor, você diz bom dia,e as pessoas perguntam  ‘e as nossas rodovias?’. Infelizmente estamos com rodovias bem abandonadas pelo governo federal e estadual. A BR-163 está totalmente abandonada, é uma obra federal, mas o governador tem de cobrar uma solução para a rodovia”, declarou Eskudlark.

Regularização fundiária
Mário Marcondes (PMDB) lamentou a extinção da Cohab e lembrou que a empresa de economia mista poderia executar a regularização fundiária nos municípios.

“A Cohab foi extinta de forma prematura e impensada e hoje nos deparamos com a dificuldade para aplicar a lei aprovada pelo Congresso e  regulamentada pelo governador, que estabelece a parceria entre a União, estado e municípios na questão da regularização fundiária, tirando um pouco do poder de fogo do Ministério Público, parece que as regularizações vão se encaminhar melhor”, avaliou Marcondes.

Campanha da fraternidade
Serafim Venzon (PSDB) parabenizou a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) pela escolha do tema da campanha da fraternidade de 2018.

“A campanha deste ano é justamente a questão da violência, a superação da violência, nós todos e cada um têm dificuldade de compreender porque tal pessoa cometeu tal atitude, por isso reage para pedir explicação e ao final temos números grandes de violência doméstica, contra as mulheres, contra as crianças e no trânsito”, analisou Venzon.

Hospital Regional de Joinville
Antonio Aguiar, Kenendy Nunes (PSD) e Dalmo Claro (PSD) ressaltaram a entrega de 43 novos leitos no Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, de Joinville.

“São 43 leitos novos, tudo isso custa dinheiro”, asseverou Aguiar.

“Entregamos à comunidade novos leitos do Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, uma antiga planta de hospitais da Flórida, da década de 1980, está sendo feito totalmente novo”, revelou Kennedy.

“A obra ficou maravilhosa, em 2011 pedimos autorização ao governador para fazer estas melhorias”, revelou Dalmo Claro.

Denúncia para o mundo
Ana Paula Lima (PT) afirmou que os foliões, blocos e escolas de samba denunciaram o “golpe” perpetrado contra Dilma Rousseff para o mundo.

“A mensagem mais forte em defesa da democracia, contra o golpe, com impacto mundial, foi a da Paraíso do Tuiuti, que levou para o sambódromo o presidente vampiro, o manifestante fantoche, os paneleiros de camisa verde-amarela, a critica ao retrocesso com a queima de carteiras de trabalho e o fora Temer”, comemorou Ana Paula.

Correção no Decreto 1.432/2017
Milton Hobus (PSD) anunciou que o Chefe do Poder Executivo alterou o Decreto 1.432, de 21 de dezembro de 2017.

“O decreto fez correções no sistema tributário, a maioria com justa razão, corrigindo e adequando, mas teve um item que ia causar prejuízo às pequenas farmácias e comércios que trabalham com o Simples com a revogação de um redutor de 70% na base de cálculo”, contou Hobus, que garantiu que o redutor continua valendo.

BB e CEF na ilegalidade
Roberto Salum (PRB) cobrou da Casa providências para que a agência do Banco do Brasil localizada no palácio Barriga-Verde aceite o pagamento de constas de água, luz e telefone.

“A Assembleia toma providências ou não adianta fazer lei. Fiz uma lei, que foi aprovada, para os bancos aceitarem as contas de luz e água. Os bancos privados estão aceitando, o BB da Assembleia não está, é uma sacanagem, a CEF e BB são os únicos que não estão aceitando”, denunciou o deputado, que prometeu prender o gerente do posto do BB da Alesc caso continue descumprindo a lei.

João Rodrigues
Roberto Salum fez uma defesa enfática do deputado federal João Rodrigues (PSD), preso depois de que o STF reiterou o entendimento sobre a possibilidade de prisão após julgamento de segunda instância.

“Foi preso ilegalmente, uma justiça falha e cretina. Não sou do time dele, disputou uma eleição contra mim. Vocês se cuidem, os ministros do STJ e do STF estão fazendo lei, prisão em segunda instância não aceito”, reafirmou Salum.

Sexta-feira, 15 horas, no Centrosul
Manoel Mota (MDB) destacou na tribuna a posse de Eduardo Pinho Moreira como governador face à licença do titular, Raimundo Colombo.

“O Eduardo Moreira foi prefeito de Criciúma, deputado federal, vice-governador e governador, vice-governador e governador de novo, uma história linda, reassume o governo sexta-feira, acho que vai ser um dia memorável”, afirmou Mota.

Darci de Matos (PSD), líder do governo, concordou com Mota e destacou a tranquilidade da transição.

“Uma transição sem sobressaltos, com harmonia e inteligência, haverá uma continuidade do trabalho”, avaliou o líder, que destacou os projetos aprovados pelos deputados que alongaram a dívida e reformaram a previdência estadual.

Oitavo mandato
Manoel Mota defendeu na tribuna a necessidade de retornar à Assembleia Legislativa em 2019 para cumprir o oitavo mandato.

“Várias obras precisam ser concluídas, como a Serra da Rocinha, são 30 anos de luta, hoje temos cem máquinas trabalhando lá; a Serra do Faxinal, que faltam nove quilômetros; e a Interpraias, que o Eduardo vai fazer um pedacinho de Passo de Torres a Balneário Gaivota, são 26 km”.

 

Vítor Santos
Agência AL

Voltar