Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Serviço temporariamente em manutenção.
Acompanhe a programação da TVAL pelo Youtube.


Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
13/10/2021 - 17h30min

Deputados criticam União pela BR-470 e sugerem que SC banque obras

Imprimir Enviar

FOTO: Rodolfo Espínola/Agência AL

Representantes do MDB, PSL, PL, PTB e PSDB criticaram o governo federal pelo caos em que se encontra a BR-470 durante a sessão de quarta-feira (13) da Assembleia Legislativa, sendo que membro do PSL pediu o apoio dos colegas para convencer o governo do estado a bancar a revitalização da rodovia de Indaial a Pouso Redondo.

“É vergonhoso, isso é recorrente todos os dias, não é só o problema dos pneus, é sofrer um acidente ao invadir a pista contrária e bater de frente com outro carro”, explicou Jerry Comper (MDB), referindo-se às manobras que os motoristas fazem para desviar dos buracos mais profundos.

Jerry destacou a cobrança que sofre dos cidadãos e alertou que a partir da segunda quinzena de dezembro a BR-470 se transforma em corredor do turismo.

“Temos de nos unir cada vez mais, mas não sabemos o que fazer, estamos implorando que se faça algo”, insistiu Comper, aludindo ao Dnit e ao Ministério da Infraestrutura.

Ricardo Alba (PSL) concordou com Jerry e pediu aos colegas para também subscreverem moção ao governo do estado sugerindo o aporte de recursos para a revitalização da rodovia federal de Indaial a Pouso Redondo.

“Sugiro um novo convênio com o Dnit e que se coloque mais R$ 200 mi para que se faça uma revitalização. Assinem conosco para que o governo do estado faça um novo convênio”, propôs Alba, que lamentou a omissão da bancada federal. “A gente não vê o mesmo esforço da bancada federal”.

Kennedy Nunes (PTB) apoiou os colegas e também criticou a bancada federal.

“Quero chamar a atenção da bancada federal, temos três senadores e 16 deputados federais”, lembrou Kennedy.

Maurício Eskudlark (PL) e Doutor Vicente Caropreso (PSDB) acompanharam os representantes do MDB, PSL e PTB nas críticas ao governo federal.

“Me disponho a marcar uma audiência em Brasília, para mim o ministro da Infraestrutura é um enganador, fica todo dia mostrando obra no Norte e Nordeste, mas esta é a principal rodovia de Santa Catarina”, discursou Eskudlark, que registrou seu espanto com os serviços de tapa-buracos executados com carrinho-de-mão e pás na BR-470.

“Precisamos de uma moção de misericórdia, para tentar impactar realmente, as imagens falam por si, tem de revitalizar, porque até (a obra) chegar lá em cima no Alto Vale vai demorar”, reconheceu Caropreso.

SC-390
Ricardo Alba reproduziu no telão da tribuna vídeo de um morador do Vale do Rio do Peixe indignado com a situação da SC-390, entre Capinzal e Piratuba. O deputado cobrou da Secretaria de Infraestrutura a recuperação da rodovia.

Adrianinho (PT) seguiu Alba e pediu a revitalização da SC-390.

“Meu irmão é caminhoneiro e hoje mandou uma mensagem devido a situação caótica dessa rodovia estadual”, revelou Adrianinho.

Resultados desastrosos
Adrianinho disparou contra a política econômica do governo Jair Bolsonaro, levada à cabo pelo ministro Paulo Guedes, e lamentou a maior alta do IPCA para o mês de setembro desde 1994, de 1,16%, registrando uma inflação de 10,25% nos últimos 12 meses.

“Bolsonaro adora lavar as mãos sobre os péssimos resultados econômicos, mas a  inflação é culpa direta do atual governo”, denunciou Adrianinho, que citou a alta dos combustíveis, da energia elétrica e dos alimentos como motores da inflação.

No caso dos combustíveis, Adrianinho condenou a dolarização dos preços e lembrou que a Petrobrás, ao contrário do governo, que responsabiliza o ICMS pelos aumentos, creditou a culpa dos aumentos ao câmbio e aos preços internacionais do petróleo.

Rudinei Floriano (PSL) discordou da constatação do representante de Xanxerê e responsabilizou a pandemia pelos aumentos de preços e a volta da inflação.

“A pandemia é um golpe do comunismo”, avaliou Floriano, acrescentando que o governo federal investiu R$ 295 bi em auxílio emergencial e que em 2021 cerca de 30 milhões de pessoas foram contempladas.

Para Fabiano da Luz (PT), os brasileiros voltaram a ter dificuldades para comer.

“Cerca de 116 milhões de brasileiros estão com insegurança alimentar, mais de 19 milhões passam fome, tenho que concordar com Lula, a fome não é um fenômeno da natureza, é falta de caráter de quem governa o país”, discursou Fabiano, que ironizou o novo aumento anunciado pela Petrobrás e lamentou que catarinenses estejam recorrendo aos ossos para sua alimentação.

Dia da criança
Doutor Vicente Caropreso lembrou a passagem do dia da criança, celebrado em 12 de outubro.

“Comprei um presentinho para  meu neto, um trator de plástico, mas pensa na festa de um guri com dois anos. Um presente acessível a qualquer um, mas de significado grande, é bom ver sorrir uma criança”, declarou Caropreso, alertando em seguida que as crianças precisam de comida, atendimento médico e educação.

Revisão do Código Ambiental
Valdir Cobalchini (MDB) noticiou que a comissão mista que revisará o Código Ambiental Catarinense já recebe sugestões e anunciou que serão realizadas oito audiências públicas para discutir as mudanças.

“Recebemos formalmente dezenas de sugestões e agora a equipe técnica faz todo um relatório prévio no sentido de sistematizar as sugestões, que servirão como um esqueleto da proposta que será apresentada para posterior deliberação das Comissões e no Plenário”, informou Cobalchini.

Tamires Gadonski
Silvio Dreveck (PP) parabenizou a jovem Tamires Camargo Gadonski (14), de São Bento do Sul, pela conquista do primeiro lugar em concurso nacional de oratória, realizado em São Miguel do Oeste.

Dreveck ainda parabenizou a Escola Básica Municipal Hercílio Malinowsky, frequentada por Tamires, além dos professores, diretores e familiares da oradora.

R$ 200 mi para a educação especial
José Milton Scheffer (PP) relatou que o Executivo, através do programa SC Mais Inclusiva, repassará cerca de R$ 200 mi para as instituições que cuidam das crianças, adolescentes e adultos com necessidades especiais.

“Serão mais de R$ 200 mi, a maior soma já aplicada na educação especial, tendo à frente a Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE), que no último final de semana passou trabalhando para viabilizar que os recursos chegassem até as Apaes”, relatou Scheffer.

O líder do governo explicou que os recursos serão aplicados no fomento ao atendimento especializado, com uso de estratégias diferenciadas, como academias para atividades físicas e jardins sensoriais; acessibilidade digital; e mobilidade, com aquisição de ônibus adaptados.

Dia do professor
Luciane Carminatti (PT) comemorou na tribuna e de forma adiantada o dia do professor, celebrado em 15 de outubro. A deputada revelou que aguarda o anúncio, por parte do governo do estado, da revisão do plano de carreira do magistério, que foi discutida pelos parlamentares e representantes do governo durante os meses de maio e junho passados.

“Espero que o anúncio seja nesta semana”, indicou Carminatti.

Pautado para 2023
Kennedy Nunes criticou duramente o senador Davi Alcolumbre (DEM/AP) pela disposição de não marcar a sabatina do advogado André Mendonça, indicado pelo presidente Bolsonaro para uma vaga no Supremo Tribunal Federal.

“Está praticando cristofobia, é o presidente da CCJ e está há três meses com a nomeação do advogado, jurista e terrivelmente evangélico André Mendonça e agora ele diz que não vai colocar em pauta porque não quer o Mendonça”, disparou Kennedy, que repercutiu a informação de que Alcolumbre pretende pautar a sabatina apenas em 2023.

Portaria 230
Floriano apontou inconsistências na Portaria nº 230/2021, do Inmetro, que modifica regras relativas à produção de capacetes e de cilindros para GNV, entre outros.

“A portaria gerou uma série de inseguranças para as empresas”, avaliou Floriano, que visitou pessoalmente o presidente do Inmetro, em Brasília, para ponderar a revogação de dispositivos da  portaria.

Mais três anos de oligopólio
Bruno Souza (Novo) deplorou a decisão do governo de prorrogar por mais três anos as concessões das empresas que operam o transporte rodoviário intermunicipal de passageiros.

“Acordo da vergonha, regularizou o irregular, deu três anos para o transporte intermunicipal. O secretário pegou uma estrutura irregular, que se serve da população, oferecendo preços mais caros e, ao invés de regularizar o setor, foi lá e deu mais três anos para todas as empresas”.

Reserva particular
Bruno informou o protocolo de projeto de lei dispondo sobre a possibilidade de o proprietário optar em criar uma reserva particular de preservação no caso de propriedades que integram áreas de preservação.

“Quero que o meu terreno seja uma reserva particular, me comprometo a cuidar do território, mas a posse e a propriedade se mantêm comigo, ele pode escolher isso”, afirmou Bruno.

Reforma de ginásio
Maurício Eskudlark esclareceu que emenda impositiva de sua autoria para a reforma do teto do único ginásio de esportes de São Bernardino, já depositada na conta da prefeitura, derivou de um pedido dos vereadores do PL e do PP daquele município do Oeste.

 

 

Vítor Santos
Agência AL

Voltar