Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
19:00 Sessão Especial
Ouvir
19:00

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
17/08/2017 - 08h13min

Ato homenageia Núcleo de Estudos da 3ª Idade pelos 35 anos de fundação

Imprimir Enviar
Participantes do Neti e familiares prestigiaram o ato solene da Assembleia Legislativa
FOTO: Fábio Queiroz/Agência AL

A Assembleia Legislativa homenageou, na noite de quarta-feira (16), por proposição da Bancada Feminina, o Núcleo de Estudos da Terceira Idade (Neti) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) pela passagem de 35 anos de fundação. Durante o ato solene, realizado no Auditório Antonieta de Barros, 26 personalidades e organizações receberam placas e certificados comemorativos.

Com enfoque na educação permanente, o Neti oferece cursos, grupos, oficinas e projetos voltados para alunos idosos, objetivando a sua atualização e inserção social. O núcleo tem como compromissos a valorização da pessoa idosa, inserindo-a no contexto acadêmico e comunitário, bem como atuar pelo desenvolvimento de políticas de atenção a pessoas idosas e de formar profissionais na área de gerontologia.

“Este é um momento importante porque precisamos valorizar as pessoas da terceira idade, os idosos, que tiveram contribuições fundamentais para a construção do desenvolvimento do nosso estado. Quando a universidade federal reconhece isso e estabelece um programa dentro da instituição, isso precisa ser valorizado”, disse a coordenadora da Bancada Feminina, deputada Luciane Carminatti (PT). Já a deputada Dirce Heiderscheidt (PMDB) reconheceu a iniciativa dos voluntários que tocam o programa e a importância dessas ações para a autoestima e a qualidade de vida dos participantes.

O Neti traz à tona o debate sobre o envelhecimento humano e sobre o que significa envelhecer na nossa sociedade, de acordo com a coordenadora do núcleo, enfermeira Jordelina Schier. “Quando o Neti foi criado, há 35 anos, o conceito de velhice era um pouco diferente, assim como os idosos também eram um pouco diferentes. Hoje o idoso está mais presente na nossa sociedade, desenvolve papeis que não desenvolvia antes, está muito mais atuante e sedento por conhecimento”, explicou. Ela acrescentou que o objetivo do programa é que as pessoas idosas tenham acesso ao conhecimento gerado dentro da universidade e possam compartilhar com a universidade a sua experiência de vida, que também é um conhecimento muito importante. “Apropriando-se de conhecimento, a pessoa idosa pode re-significar o seu viver, fazer outros projetos de vida e ser feliz na idade que a ela tem.”

A aposentada Valda Valdemar de Andrade, 77, participa do Neti há mais de 20 anos. Fazer as atividades oferecidas pelo núcleo foi uma recomendação do médico geriatra à paciente, portadora de artrite reumatóide, como se prescrevesse um remédio para melhorar a sua saúde. O “remédio” funcionou, conforme o depoimento de Valda: “continuo até hoje trabalhando com prazer, orgulho e felicidade”. Ela fez praticamente todos os cursos oferecidos na área de gerontologia. “Foi através desses cursos que aprendi a conviver, trabalhar e aceitar o meu corpo envelhecido”, relatou. Há dez anos, Valda integra também o Grupo de Canto Vozes da Ilha e atua no Projeto de Intercâmbio Intergeracional.

Lisandrea Costa
Agência AL

Voltar