Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
19:00
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
24/10/2014 - 11h21min

Sopelsa diz que produtor não pode pagar por adulteração do leite

Imprimir Enviar

O deputado Moacir Sopelsa (PMDB) pretende acionar a Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa para uma tomada de atitude em relação aos casos de adulteração de leite, que considera “um crime bárbaro, de pessoas sem escrúpulos”. Ele manifesta apoio às ações do Ministério Público e do Gaeco, mas entende que deve ser cobrada responsabilidade de órgãos responsáveis pela fiscalização do processo de produção, desde as propriedades rurais até a indústria de laticínios.

Sopelsa quer saber a razão pela qual as fraudes vêm ocorrendo sem o devido controle do Ministério da Agricultura e da Cidasc, que deveriam participar da fiscalização na origem do leite. “A indústria séria, comprometida com a qualidade do que oferece à população, não pode pagar pelo que é feito por gente de má índole. E muito menos o produtor que investe na genética e na higiene, para produzir leite da melhor qualidade e vê um produto de valor nutricional essencial à população cair em descrédito. Quem é responsável pela certificação da qualidade do nosso leite?”, questiona o parlamentar.

Sopelsa sabe bem do que está falando, pois ele mesmo é produtor de leite. “Quem conhece a atividade sabe o quanto é preciso se dedicar para ter boas instalações, investir no aprimoramento genético, ter atenção constante com tudo o que envolve a produção. Por isso é que vejo muita gente da cadeia produtiva do leite revoltada com que está acontecendo, e é preciso esclarecer bem quem são os responsáveis”.

Na Comissão de Agricultura da Assembleia ele pretende ampliar o debate e convidar representantes do segmento leiteiro para tratar a questão, que considera muito delicada. “Estamos diante de denúncias graves, que desacreditam um trabalho feito ao longo de décadas. Santa Catarina é um dos principais estados produtores e não pode perder o status de qualidade do seu leite. É um produto de valor essencial, para crianças, jovens, adultos e idosos. As pessoas não podem ficar desconfiadas, achando que todo o leite que encontram pode estar adulterado”.

 


Assessoria da Bancada do PMDB

Evory Pedro Schmitt (48) 3221.2713

Fotos: Arquivo Alesc

Acompanhe Moacir Sopelsa


http://www.alesc.sc.gov.br/moacirsopelsa
Voltar