Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ouvir
00:05 Programação Musical

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
27/09/2017 - 16h25min

Profissionais da segurança mortos em ação serão homenageados

Imprimir Enviar
Criminalidade acabou com a carreira de um soldado da Polícia Militar FOTO: Betina Humeres

Deputado Parisotto é autor de lei que institui no estado uma semana de homenagens aos heróis que perderam a vida durante suas funções

“Hoje chora mais uma mãe, uma esposa em um país onde se perde o maior número de policiais nesta guerra desleal contra o crime. Hoje perdemos mais um irmão de farda, comprometido, leal a uma causa onde o bem insiste em vencer. Como outros que deixam suas residências para nunca mais voltar sob a égide da vocação, de dar sua própria vida em prol de outra que jamais viu”.
Assim, o comandante geral da Polícia Militar de Santa Catarina, coronel Paulo Henrique Hemm, se despediu do soldado Vinícius Alexandre Gonçalves, integrante do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT). Em setembro de 2016, o policial e colegas faziam operação na comunidade Morro do Horácio, na Capital. Durante o trabalho, eles viram três homens, dentre eles um adolescente, comercializando drogas. O adolescente foi abordado e o soldado Gonçalves foi em direção aos outros dois indivíduos. Neste momento, o menor atirou contra o soldado que foi atingido por um tiro próximo ao abdômen.
O policial era morador do Saco dos Limões, em Florianópolis, onde nasceu. Casado e sem filhos. Segundo amigos, atuar como policial sempre foi o desejo de Gonçalves, desde criança manifestava interesse. Ele entrou na PM em agosto de 2011. Momentos antes de morrer, o soldado trocou mensagens com um oficial da PM pedindo para assumir um posto no Batalhão de Operações Especiais (Bope). Um sonho que foi interrompido pela criminalidade.

Semana de homenagem
“Com apenas 31 anos, o jovem teve sua vida ceifada no momento em que a criminalidade cresce de forma contínua. Perder a vida para defender o outro. Esses heróis que nos deixaram em ação precisam ser lembrados”, diz o deputado Narcizo Parisotto (PSC). O parlamentar é autor da lei 17.249 de 2017. Através dela, está instituída no estado a “Semana de Homenagem aos Heróis de Santa Catarina”. De acordo com a lei, as homenagens iniciam no dia 19 de agosto, com encerramento em 25 de agosto, Dia do Soldado.
Parisotto destaque que será uma semana de homenagens aos profissionais que perderam a vida enquanto desempenhavam suas funções. Além de outras atividades, poderão ser realizadas palestras com foco na segurança, propagandas em veículos de comunicação, concursos de redação, ações junto aos alunos visando relembrar a coragem e o sacrifício destes agentes públicos em prol da segurança e da sociedade.
Parisotto destaca que os policiais militares e civis ou bombeiros, diariamente colocam suas vidas em risco. “Eles estão sempre prontos para socorrer quem precisa de ajuda, mesmo que isso custe a própria vida. É a pura expressão da coragem e da honra. Tal postura deve ser lembrada por toda a sociedade, não somente entre os entes queridos. Estes heróis devem ser homenageados por todos nós”, ressalta Parisotto.

Números
De acordo com dados da assessoria de comunicação da Polícia Civil de Santa Catarina, em 2015, um policial civil morreu durante o serviço devido a um acidente de trânsito. Pelo mesmo motivo, em 2017, outro policial civil perdeu a vida durante suas funções.
Já o Corpo de Bombeiros registrou a morte de 27 profissionais em serviço, desde o início da história da instituição em 1926. Dentre eles, dois atuavam como bombeiros comunitários e faleceram quando prestavam socorro em uma tragédia de trânsito, ocorrida no ano 2007, em Descanso.
A Polícia Militar informou através da assessoria de comunicação que os últimos dois anos, dois policiais militares morreram em serviço. Em setembro de 2016, o soldado Vinícius Alexandre Gonçalves foi executado por criminosos no Morro do Horácio, na Capital. Em outubro de 2016, o soldado Daniel Leite foi atropelado enquanto atendia ocorrência policial em Chapecó.

 

Acompanhe Narcizo Parisotto


Narcizo Parisotto
Voltar