Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Serviço temporariamente em manutenção.
Acompanhe a programação da TVAL pelo Youtube.


Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
13/07/2021 - 18h44min

Procuradoria da Mulher é instalada e Marlene assume como adjunta na 1ª diretoria

Imprimir Enviar
Deputada Marlene Fengler

A deputada Marlene Fengler (PSD) assumiu nesta terça-feira (13) como procuradora adjunta da mulher, formando com a deputada Ada Faraco de Lucca (MDB) a primeira diretoria da recém criada Procuradoria da Mulher da Assembleia Legislativa. Ao falar sobre a nova missão, disse que trabalhará pelo fortalecimento das ações em defesa dos direitos das mulheres.    

A parlamentar considera a implantação da Procuradoria da Mulher um marco na garantia de maior representatividade, visibilidade e destaque às mulheres na política. "A função mais importante da Procuradoria é ser uma ferramenta de informação e suporte no combate às agressões e a discriminação contra as mulheres em nossa sociedade, na medida em que poderá receber e encaminhar aos órgãos competentes as denúncias de violência."

A implantação das Procuradorias da Mulher ainda é lenta em todo o país. Desde que o modelo foi instituído na Câmara Federal, em 2009, legislativos de 14 estados, incluindo o parlamento catarinense, constituíram suas Procuradorias da Mulher.

Em Santa Catarina, apenas 14 Câmaras Municipais estruturaram a unidade. Na opinião de Marlene, isso mostra o quanto é difícil avançar nas pautas em defesa das mulheres, e o quanto é necessário união na ampliação dessa representatividade. 

A deputada lembrou que as mulheres totalizam 51,3% da população, e formam a maior parte do eleitorado: 52%. Apesar disso, segundo o IBGE, elas compõem a parcela mais empobrecida da população, ocupam os postos de trabalho mais precários e têm renda inferior à obtida pela parcela masculina. Isso, apesar de estudarem mais, serem maioria nas universidades no Brasil e ocuparem 41,9% dos postos de trabalho.

"Sei que não há como mudar essa realidade de um dia para o outro, mas criarmos ferramentas que pavimentem o caminho dessas mudanças é uma vitória que precisamos celebrar e da qual tenho orgulho de fazer parte", disse durante sua fala em plenário na sessão desta terça-feira.

Homenagem
A deputada também propôs moção de aplauso e a realização de sessão especial, que deve ser realizada em agosto, em homenagem aos atletas catarinenses que se destacaram no Campeonato Sul Americano de Atletismo Sub-20, realizado nos dias 9 e 10 deste mês, em Lima, no Peru.

A homenagem será concedida às atletas Tainara Mees, de Itapiranga, e Alana Amorim, de Rio do Sul, que conquistaram medalha de prata no revezamento 4X100; a Vinicius Avancini, de Rio do Sul, pela prata no arremesso do peso; a Rodrigo Trenhago, de Blumenau, pela prata no arremesso do disco; a Danielle Campigotto, de Chapecó, pelo ouro nos 100 metros com barreiras e a Tanielle de Jesus, de Pomerode, pelo ouro no arremesso do peso.

Ao nominar os medalhistas, Marlene frisou a importância de quem trabalha e apoia o esporte, sobretudo considerando a precariedade das estruturas disponíveis para treinamento no estado. "Temos que trabalhar para que cada vez mais o esporte faça parte da vida das crianças, dos jovens, porque não tenho dúvidas de que pode transformar vidas, alterando realidades e promovendo o desenvolvimento humano", destacou.

Aniversário do ECA
Por fim, a parlamentar destacou os 31 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), um marco na proteção dos direitos infanto-juvenis. Presidente da Comissão em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente da Alesc, Marlene observou que durante as reuniões que coordenou com representantes de instituições e órgãos envolvidos na questão, conseguiu identificar excelentes ações que estão sendo realizadas, mas ainda não plenamente conhecidas.

Na opinião da deputada o ECA trouxe muitos avanços, mas há ainda muitos desafios que demandam empenho e união para garantir que as crianças e adolescentes catarinenses tenham acesso ao que é preconizado pelo estatuto.


Rossani Thomas
Assessoria de Imprensa Dep. Marlene Fengler
Assembleia Legislativa de Santa Catarina
Fone: (48) 3221 2692 / (48) 9 9963 3236
rossanithomass@gmail.com

Acompanhe Marlene Fengler


Marlene Fengler
Voltar