Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Serviço temporariamente em manutenção.
Acompanhe a programação da TVAL pelo Youtube.


Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
25/08/2021 - 19h11min

Naatz contesta dados sobre recuperação dos R$ 33 mi dos respiradores

Imprimir Enviar
Deputado Ivan Naatz, líder da bancada do PL
FOTO: Bruno Collaço / AGÊNCIA AL

O deputado Ivan Naatz, líder da bancada do PL e que foi o proponente e relator da CPI dos Respiradores, no ano passado, na Alesc, contestou em plenário informações que vêm sendo divulgadas pelo governo no site oficial sobre a recuperação dos  R$ 33 milhões em recursos públicos usados para o pagamento adiantado dos equipamentos que nunca foram entregues. Segundo o site, teriam sido recuperados R$ 14,2 milhões do montante total, além de que 96, 6 % dos recursos já estão bloqueados em dinheiro ou bens ou em fase avançada de cobrança judicial.

“Enquanto não houver a comprovação documental de todos estes bloqueios e processos, o governo estará mentindo para os catarinenses e a mentira não combina com a boa gestão pública”, afirmou Naatz, acrescentando que “o governador Moisés deveria admitir que houve falha nos controles internos e que agora o governo está tentando recuperar o dinheiro pago irregularmente”.

Denúncia do MP
Ao citar que já se passaram 377 dias da apresentação do relatório final da CPI dos Respiradores, em agosto do ano passado, o deputado Ivan Naatz aproveitou para parabenizar a todos os integrantes daquela Comissão Parlamentar de Inquérito em função de notícias veiculadas de que “finalmente “ o Ministério Público de Santa Catarina está oferecendo denúncia contra os envolvidos na investigação.

O deputado explicou que paralelo à CPI também acontecia a Operação O2, executada pela força-tarefa envolvendo o Ministério Público, Policia Civil e Tribunal de Contas do Estado e que os 14 denunciados são praticamente os mesmos responsabilizados na conclusão dos trabalhos da CPI. “É mais uma prova de que o parlamento cumpriu bem o seu papel fiscalizatório e investigativo, assim como as forças policiais e do MP diante do mau uso do dinheiro público. Agora é aguardar o início da fase judicial e que se faça justiça dentro dos ditames legais em respeito ao contribuinte.”

 

Comunicação Gabinete 
 

Acompanhe Ivan Naatz


Ivan Naatz
Voltar