Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
07:00
Ouvir
00:05 Programação Musical

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
28/11/2016 - 16h51min

Mota acompanha reunião do setor polvilheiro na Secretaria de Agricultura

Imprimir Enviar
Deputado Manoel Mota e representantes da AIMSC na Secretaria Estadual de Agricultura

O deputado Manoel Mota (PMDB) acompanhou representantes da Associação das Indústrias Processadoras de Mandioca e Derivados de Santa Catarina (AIMSC) em audiência na Secretaria Estadual de Agricultura e Pesca, nesta segunda-feira (28), para entrega da proposta do termo de ajuste de conduta (TAC) confeccionado pelo setor polvilheiro do sul catarinense, conforme orientações da Vigilância Sanitária estadual.

Mota vem acompanhando de perto o debate, visando melhorias contínuas na produção da mandioca. Tanto que, no início do mês de novembro, deu entrada na Alesc do projeto de Lei (PL) 564/2015, que trata da exclusiva denominação de polvilho azedo em Santa Catarina.

O PL foi aprovado e estabelece que as empresas produtoras da matéria-prima no estado poderão denominar como polvilho azedo apenas o amido de mandioca resultante de processo de fermentação natural e secagem ao sol. "É importante investir no setor, superar as dificuldades e continuar produzindo o polvilho na região. Estamos juntos apoiando o nosso agricultor", frisou o deputado.

Segundo o representante da AIMSC, João Paulo da Silva Teixeira, Mota vem intermediando os debates e apoiando os polvilheiros. "Entregamos a nossa proposta para a Vigilância Sanitária visando a preparação do setor em relação à normatização da atividade, adequação da produção e comercialização do polvilho azedo no mercado regional, nacional e internacional e agora aguardamos uma posição dos órgãos competentes", ressaltou.

A Vigilância Sanitária quer promover melhorias e auxiliar no desenvolvimento de uma rede higiênica sanitária satisfatória que vai contribuir diretamente na qualidade do produto que chega aos consumidores. Já os produtores pedem mais tempo para se adequar, já que os custos são altos.

O deputado federal Ronaldo Benedet (PMDB) também acompanhou a audiência.


Assessoria de Imprensa
(48) 9841-7141
https://www.facebook.com/manoel.mota.942
http://www.manoelmota.com.br/

Acompanhe Manoel Mota (suplente)


Manoel Mota (suplente)
Voltar