Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
27/04/2018 - 16h14min

Eskudlark acompanha audiência para federalização da BR-163

Imprimir Enviar

Em audiência pública realizada na manhã desta sexta-feira (27), na Câmara de Vereadores de Itapiranga, para tratar da federalização do trecho de 66 Km da SC-163 que liga os municípios de São Miguel do Oeste e Itapiranga, o governo catarinense e o DNIT entraram em consenso quanto ao inventário da rodovia, ato necessário para a transferência de patrimônio do Estado para a União.

A federalização é um pedido antigo da população e lideranças políticas, tendo em vista que na prática ela é a continuação da BR-163 que cruza o território brasileiro de norte a sul. O encontro definiu que até onde vai dia 31 de maio, sejam encaminhados todos os documentos para Brasília para que o ministro dos Transportes, Valter Casimiro Silveira, que é Ex-diretor do DNIT assine a federalização.

Para o deputado Mauricio Eskudlark (PR) essa federalização é fundamental para o desenvolvimento da região, já que empresas buscam outras rotas. “Se é do Estado ou Federal pouco importa, o que nossa população quer é uma rodovia de qualidade, e quem tem mais recursos e condições de investimento para isso é o Governo Federal, por isso defendo a federalização”, afirmou.

Deputado cobra melhorias na rodovia
Durante a audiência Eskudlark aproveitou para cobrar o Governo Federal pelo abandono das obras desta mesma rodovia, no trecho que liga Dionísio Cerqueira e São Miguel do Oeste. “Entendo que existem entraves jurídicos e falta de recursos, mas nossa região tem sofrido se recursos, investimentos e principalmente de vidas”, lamenta o parlamentar.

Por outro lado, o Engenheiro Ronaldo Barbosa, Superintendente do DNIT em SC, garantiu que em razão da demora também houve melhorias e revisão do projeto, para que a base seja de concreto, com maior qualidade, durabilidade e segurança para os usuários.

Acompanhe Maurício Eskudlark


Maurício Eskudlark
Voltar