Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
21:15 Memória da Imprensa
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
17/09/2019 - 10h19min

Ideologia de gênero contra a biologia

Imprimir Enviar

FOTO: Bruno Collaço / AGÊNCIA AL

Ao contrário do que pregam seus apologetas, a ideologia de gênero não é uma teoria inquestionável que conta com enorme respaldo no meio científico. Em uma publicação recente, a Associação Americana de Pediatras orientou educadores e legisladores a rejeitar todas as políticas que condicionem as crianças a aceitarem como normal uma vida mutilada pela personificação química e procedimentos cirúrgicos de ressignificação sexual, além de apresentar dados reveladores: 98% dos meninos e 88% das meninas que apresentam confusão com próprio gênero aceitam seu sexo biológico depois de passarem naturalmente pela puberdade.

Apesar dessa aberração já ter sido rejeitada a nível federal, os agentes do progressismo continuam tentando introduzi-la sorrateiramente via legislação estadual ou municipal. Nesta semana recebi uma denúncia encaminhada pelo deputado estadual mais jovem do Brasil, André Fernandes, eleito pelo PSL no Ceará, sobre a tentativa irresponsável de introduzir essa temática em aulas que seriam ministradas para a alunos da educação infantil em Fortaleza. A deputada estadual Ana Campagnolo (PSL) levou essa inaceitável situação ao plenário da Assembleia Legislativa durante a 79ª Sessão Ordinária, fazendo com que o assunto rendesse um acalorado debate entre parlamentares conservadores e progressistas.

Acompanhe Ana Campagnolo


Ana Campagnolo
Voltar